domingo, 28 de agosto de 2016

Figueirense ilustre

Morreu
a VIZINHA DO LADO



Tinha completado 100 anos a 21 de julho, e faleceu no passado dia 18 de agosto.
MADALENA SOTTO, nome artístico de Maria Madalena Pereira Óthão, foi uma das personalidades mais relevantes do teatro e do cinema nacionais.
"A Vizinha do Lado" foi um dos seus êxitos na tela, mas a sua vida artística foi preenchida com imensos sucessos nos ecrans e nos palcos.
Recordamos Madalena com a reprodução de um texto publicado em 1945:

Um valor da nossa terra
Madalena Sotto
Madalena Sotto é natural desta linda Figueira da beira-mar. Artista de largos recursos, insinuante, de olhar expressivo e inteligente, tem, como todas as artistas a sua história, o seu “diário”, a sua folha de serviço. Resumindo-a, diremos que Madalena tomou pela primeira vez contacto com a objectiva cinematográfica em Abril de 1938, nesse tempo saudoso em que a Figueira se animou de ponta a ponta, quando das filmagens de “Dois corações…um destino”. Desta futura película de propaganda, apenas se filmaram 166 metros que foram exibidos no Peninsular e Parque-Cine na noite de 16 de Junho de 1938. Entusiasmou-se a cidade inteira, mas… por um “capricho da sorte” a obra de longa metragem, cartaz vibrante para a divulgação da Figueira, não se chegou a realizar.
Madalena foi a Lisboa, e em 3 de Abril de 1939 entrou para o elenco dos artistas da produção de António Lopes Ribeiro “O Feitiço do Império”,
…..
E por nosso intermédio esperamos que a cidade da Figueira da Foz, saiba compreender o valor da artista, tributando-lhe o que o seu talento merece. Não é muito… é alguma coisa.
(In “Figueira da Foz – Guia Turístico, Comercial e Industrial” – Segundo ano – 1945)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Cinema

O psicólogo
que abalou a América
está hoje no CAE

 
A sessão está narcada para as 21h30 no Pequeno Auditório do CAE da Figueira da Foz.


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Orgulho figueirense

Cabo Mondego
distinguido
com
PREGO DE OURO


"Definido há quase duas décadas, o estratotipo do Cabo Mondego foi gravado no monumento natural, através de um um ‘golden spike’, ou Prego De Ouro, que assinala o reconhecimento, pela Comunidade Científica, da existência de sedimentos, fósseis e microfósseis, da era bajociana, que transformam o local no único do mundo a servir de referência global deste período do Jurássico Médio.

A cerimónia de colocação da distinção Global Boundary Stratotype Section and Point, mais conhecida como GSSP, foi precedida por uma receção, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, de muitos cientistas portugueses e estrangeiros, com a Professora Helena Henriques a fazer a apresentação do Estratotipo Global para a base do andar Bajociano do Cabo Mondego, num momento que contou ainda com as intervenções do Professor Stanley Finney, que preside à Comissão Internacional de Estratigrafia da União Internacional de Ciências Geológicas, e de Stephen Hasselbo, Presidente da International Subcommission on Jurassic Stratigraphy (ISJS). A docente e investigadora da Universidade de Coimbra recordou o trabalho feito ao longo de vários anos que, sublinhou, não terminou com esta distinção. «Este é um registo extraordinário, com futuro tanto para o geoturismo como para a formação académica», afirmou, lembrando que 2017 será o Ano do Turismo Sustentável. «Esperamos que seja, também, o ano do Cabo Mondego, porque este monumento pode estar aqui desde o Jurássico mas não é, necessariamente, eterno… Importa, por isso, garantir a integridade do local e dos acessos, assegurar a sua preservação e monitorização e, claro, prosseguir com as investigações».

Ainda na cerimónia nos Paços do Concelho, que contou, entre outras, com a presença de diversos autarcas e do presidente do Turismo Centro Portugal, Pedro Machado, o Presidente do Município da Figueira da Foz, João Ataíde, reconheceu «o enorme desafio» que um património geológico com a importância do Cabo Mondego representa, explicando, também as contingências para a acção e proteção pública decorrentes da natureza privada de parte da propriedade onde o monumento natural se encontra. «Mas este Prego de Ouro é, afinal, uma oportunidade de ouro», afirmou, manifestando a vontade da Autarquia de trabalhar para que a Figueira da Foz possa vir a ter, no Cabo Mondego, um geoparque de relevância mundial.

Concluída a receção oficial, procedeu-se à colocação, nas falésias da Praia da Murtinheira, em Quiaios, do “Prego de Ouro”, procedendo-se ainda ao descerramento de uma placa informativa e evocativa da distinção."
 
Texto emitido pela Câmara Municipal da Figueira da Foz

Fotografia


A imagem do dia

 
"Nevoeiro na serra"
 
Serra da Boa Viagem - Figueira da Foz

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Jogos Olímpicos


A propósito...
 
"O importante não é vencer, mas competir e com dignidade".

Pierre de Coubertin, o pai dos Jogos Olímpicos da era moderna. (1863 - 1937)

domingo, 21 de agosto de 2016

Jogos Olímpicos


Foram CEM
99 vieram SEM...
Telma bronzeada na repescagem!!!
Telma Monteiro salvou a honra do convento ao conseguir a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Brasil, que hoje têm a sua jornada de encerramento.
Uma coisa é certa: aos portugueses já ninguém lhes tira o passeio.
é já a seguir