sexta-feira, 13 de junho de 2014

Vasco Graça Moura

Recordando...
 
 
 
Vasco Graça Moura (Foz do Douro, 3 de janeiro de 1942 - Lisboa, 27 de abril de 2014), foi uma figura incontornável nacional, com um currículo invejável.
Poeta, ensaista, dramaturgo e tradutor, exerceu ultimamente o cargo de diretor do Centro Cultural de Belém.
Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, foi membro do governo em 1975, deputado à Assembleia Constituinte, Comissário-Geral  para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses e Comissário de Portugal para a Exposição  Universal de Sevilha, Deputado ao Parlamento Europeu, entre outros altos cargos, recebendo ainda galardões como Prémio Pessoa, Grande Prémio de Poesia da APE, Grande Prémio de Romance e Novela APE/IPLB, Prémio Vergílio Ferreira, etc.
Em 2008 publicou  "Anotações Europeias", um volume que reúne parte dos textos que escreveu a propósito do espaço europeu.
Nas inagens, além da doto do autor e da capa da obra em apreço, a reprodução da dedicatória que Vasco Graça Moura me concedeu, como agradecimento por uma simples colaboração relacionada com a história do fado e a personalidade dum figueirense de seu nome António Pinto Correia de Almeida, que usava o pseudónimo de António Amargo.
 
 

Sem comentários: