quarta-feira, 1 de março de 2017

Carnaval já era...



E quarta-feira de cinzas é já hoje...

O corso desfila entre festins
E o sonho alimenta a euforia.
Um riso fugaz dorme ao relento
No rebato das cinzas duma quarta-feira.

Vejo sombras a bailar numa dança insólita
E máscaras a encobrir iniquidades.
Esgares perpassam entre serpentinas
E rodopiam em golpes de magia.

E o Rei de um dia ri, ri  e recolhe, felizão,
Vassalagens e adornos à mistura.
A fantasia ornamenta a sua corte
E o imaginário põe grilhetas no real.

E quarta-feira de cinzas é já hoje...

Aníbal José de Matos, 1992, em "CONFLITOS"

Sem comentários: