segunda-feira, 23 de julho de 2007

De Férias
Este meu diário vai sofrer uma breve interrupção. Vou de férias, regressando nos primeiros dias de Agosto.
A todos os meus Amigos e visitantes, ATÉ BREVE.
AJM

Efemérides

23 de Julho de 1938

Exibe-se em Cantanhede, com grande sucesso, o Rancho Flores de Portugal, da Figueira da Foz.
23 de Julho de 1982
Dá-se um acidente à entrada da Ponte Nova sobre o Rio Mondego (Ponte Edgar Cardoso), na Figueira da Foz, inaugurada em 12 de Março de 1982. Ruiu um troço do acesso do lado Norte-Nascente da mesma ponte, pelo que o trânsito esteve interrompido durante algum tempo, circulando os veículos numa única faixa até à realização total das obras de reparação, que duraram alguns meses.
Apesar de prometido, o inquérito às causas desta "pequena beliscadura" nunca foi tornado público...

O pensamento do dia

O problema das ilusões é que só percebemos que as temos quando elas se desfazem.
Preeti Sharma

domingo, 22 de julho de 2007

Poesia

A nossa Bandeira

Quando os teus olhos virem adiante
uma Bandeira, pobre ou de espavento,
em movimentos céleres, ao vento,
não passes sem respeito nesse instante.



Rota e velhinha, perto ou bem distante,
que a descortine o nosso olhar atento,
ela tem sempre o mesmo valimento
por ser, no mesmo fim, simbolizante.



Pequena, e que valor em si condensa
para representar nossa Nação,
que de bons feitos chega a ser extensa.



Ao vê-la, nós sentimos comoção,
porque, no meio desa força imensa,
Bandeira do País é o coração.


Martingo Rebelo, em DESENCONTRO

Efemérides

22 de Julho de 1948
Morre o Capitão Manuel Nunes de Oliveira, pessoa de destaque no meio social figueirense, onde desempenhou funções de grande relevo, como director das indústriais do Cabo Mondego, vereador municipal, director da Assembleia Figueirense e da Lusitânia Companhia Portuguesa de Pesca, administrador dos Estaleiros Navais do Mondego e da Santa Casa da Misericórdia, presidente da Comissão Municipal de Assistência, etc.

Porque hoje é Domingo

Aquele que habita sob a protecção do Altíssimo e mora à sombra do Omnipotente, pode exclamar: "Ó Senhor, tu és o meu refúgio, o meu castelo, o meu Deus, em quem confio!"
Salmo 91 - 1:2

sábado, 21 de julho de 2007

Justiça (?)

Os portugueses acreditam ou não na Justiça em tempo democrático?

Relação confirma sentença de Lídio Lopes
-

"O Tribunal da Relação de Coimbra confirmou a sentença aplicada a Lídio Lopes pela primeira instância. Ou seja, vai ter que pagar cerca de 900 euros, por ter sido condenado por agressões a um menor.
“O que mais me importa é a minha consciência, que está absolutamente tranquila, já que estou inocente. No entanto, vou, obviamente, cumprir a sentença, até porque este processo não pode prosseguir, já que não é passível de mais recursos”.
Foi assim que Lídio Lopes reagiu, ontem, à decisão do que Tribunal da Relação de Coimbra, que confirmou a sentença que o tribunal da Figueira lhe aplicou há cerca de meio ano. Lídio Lopes foi julgado por agressões a um menor, tendo sido condenado a pagar, ao Estado, uma multa de cerca de 900 euros.
Mantendo a "convicção de inocência", Lídio Lopes frisa que "raramente uma sentença de primeira instância é anulada em sede da Relação. Por outro lado, lembra que "em momento algum o Tribunal da Figueira deu como provado" que deu um murro ao adolescente de 13 anos. Por isso, sustenta, a "sentença foi baseada em convicções". Porém, salienta: "o que conta é que, repito, estou de consciência e que sou inocente". O caso remonta ao último dia da campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 2005. Lídio Lopes seguia na caravana do candidato Duarte Silva quando alguém atingiu a sua viatura com uma pedra. Segundo o acusado disse em tribunal, saiu do carro, agarrou o adolescente pela camisola, indagando os motivos do acto, e mandou-o para casa.
Por seu turno, a alegada vítima manteve que não atirou a pedra e que Lídio Lopes lhe desferiu um murro na cara.
-
Testemunhas pouco abonatórias
-
Lembre-se que a moldura penal do crime pelo qual Lídio Lopes foi condenado incorria numa pena de três anos de prisão ou 360 dias de multa. Contudo, tendo em conta que o arguido não tinha antecedentes criminais, o juiz acabou por reduzir a pena. À saída do Tribunal da Figueira, em Novembro de 2006, Lídio Lopes revelava que tinha devolvido o pelouro da Juventude. Porém, o presidente da câmara, Duarte Silva, não aceitou a devolução.
Sendo assim, o autarca vai continuar com todos os pelouros, incluindo o da Juventude.
Algumas das testemunhas de Lídio Lopes não foram abonatórias. Isto é, as contradições e a falta de sintonia dos depoimentos poderão ter sido mais prejudiciais do que benéficas. Mas também se verificaram contradições por parte das testemunhas de acusação. Seja como for, a sentença foi confirmada, e o actual vereador da Câmara da Figueira foi condenado a pagar 60 dias de multa, a 15 euros por dia, por agressões físicas a um menor.
A "falta de crédito" de algumas testemunhas, e devido às versões "diametralmente opostas" da acusação e da defesa, o juiz valeu-se do relatório médico para ditar a sentença. Lembre-se que na noite dos factos o menor deu entrada no Hospital Distrital da Figueira da Foz com sinais de agressões na cara.
Em declarações aos jornalistas, Lídio Lopes justificou que optou por ir a julgamento para tentar provar a sua inocência. Até porque, realçou, o Ministério Público propusera-lhe o pagamento de uma multa de 1.500 euros para dar o processo por encerrado."
-
É caso para perguntar: os políticos, tal como, na circunstância, acreditam ou não na Justiça? Melhor dizendo: o Tribunal errou?, ou ainda melhor, os Tribunais erraram? Então, se isto aconteceu com um político "influente", como poderá acontecer com um cidadão comum, sem apoios de qualquer espécie? Há aqui algo que não bate certo...

O pensamento do dia

Sobre um optimista eu diria que, mesmo quando as coisas lhe correm mal, ele tem a certeza de que tudo vai melhorar.
Frank Hughes, in Selecções do Reader's Digest

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Efemérides

20 de Julho de 1902
...
O Ginásio Clube Figueirense realiza um passeio velocipédico a Santa Olaia, pitoresco local perto de Maiorca.
...
20 de Julho de 1938
...
O Orfeão Figueirense David de Sousa realiza no Teatro Peninsular (Figueira da Foz) um espectáculo artistico.
...
20 de Julho de 1948
...
É lavrada a escritura da constituição da Sociedade Figueira-Praia. O capital social era, então, de 250 mil escudos, dividido por 56 mil acções de 4$50, ouro, cada.

O pensamento do dia

A experiência passada deverá ser um farol a iluminar-nos o caminho, e nunca um cais a amarrar-nos.
Rubén Alfonso Ramirez (Guatemala)

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Efemérides

19 de Julho de 1780
Em reunião da Câmara Municipal da Figueira da Foz foi deliberado adquirir pano preto para as capas destinadas aos Alcaides da Vila (Alcaides da Vara), funcionários que "tinham por missão prender e penhorar, sob ordens emanadas do magistrado superior da região" e que não tinham posses nem recebiam proventos suficientes para se apresentarem com fatos decentes em todos os actos públicos a que eram obrigados a comparecer.
Segundo Maurício Pinto, as capas foram feitas de molde a servirem para todos os alcaides, altos ou baixos, magros ou gordos, que viessem substituir mais tarde os daquela época.
No Museu Municipal Dr. Santos Rocha, na Figueira, podem ser vistas algumas dessas capas.
19 de Julho de 1888
Começam os serviços de exploração de água para abastecimento da cidade da Figueira da Foz.

O pensamento do dia

É melhor que uma criança chore do que chorem os seus pais.

Popular

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Para a história da Figueira - XC

Outros tempos...

No ano de 1925, publicou-se, na Figueira da Foz, a revizta quinzenal "EUROPA", de que também possuo a colecção completa, publicação de que era proprietária a empresa Neto de Carvalho & C.ª Ld.ª, com redacção e administração no CAFÉ-CASINO-EUROPA, tendo como redactor o poeta António Amargo.
A revista era composta e impressa ma Tipografia Peninsular, de meu Tio-Avô, Joaquim Gomes d'Almeida, na então denominada Praça Velha (hoje Praça General Freire de Andrade).
No eemplar de que reproduzo a capa (n.º 3, de 15 de Maio de 1925), consta na página 9, uma relação de informações consideradas de utilidade, donde constam alguns nomes e designações que contribuiram para a história da Figueira da Foz.
E aqui vai (certamente fastidiosa), a tal "Página de Informações":
-
Automóveis de aluguer
N.º 1211 - de António Heleno, Rua Dr. Calado, 74 e 86-88
N.º 1474 - de Guilherme d'Almeida, Rua Dr. Diniz
N.ºs 2383 e 2537 - de José Simarro (Garagem Moderna), Rua Cândido dos Reis, 11-15
S.4440 - Camion Delahaye, de José da Costa - Informa Alfaiataria Licoano - R. da República
Banheiros da Figueira
António Galizão - Casal Duarte Silva
António Maria da Silva - Rua Miguel Bombarda
António Saltão Rainha - Rua Dr. Calado
Custódio Trafaria
Guia Pestana - Rua da Fonte
Guido Moreira - Rua dos Banhos
Joaquim Pires - Rua dos Banhos
José Pestana - Rua dos Banhos
Maria da Conceição Simões - Rua dos Banhos
Maria José Gonçalo Simões - Rua dos Banhos
Raul Loureiro Pestana - Capitania do Porto
Banheiros da Praia de Buarcos
António Saltão
Francisco dos Santos Rão
João Simões Vagos Bolé
Joaquim Cação Ribeiro
José Faúlha Moita
Manuel Sumões Vagos Bolé
Banhos
Paul - Carlos Pestana - Praia da Fonte
Vila Mar - Manuel Figueiredo Maia - Rua de Buarcos
Cafés e Restaurantes
Avenida, de António Magalhães - Rua Fernandes Tomás
Café-restaurante do Casino Europa
Café Espanhol
Café-Restaurante do Casino Oceano
Café-Restaurante do Casino Peninsular
Restaurante Lisbonense, na Rua da Indústria
Café Luzitano, Rua Dr. Diniz
Café Portuense - Rua Bernardo Lopes
Caixas do correio e Venda de selos
Correio Geral - Rua da Bica
Mercearia Duarte - Rua Bernardo Lopes
Mercearia Encarnação - Rua dos Banhos
Manuel Lopes Duque - Rua do Viso
Mercearia de Manuel Ribeiro - Rua de S. Lourenço
Mercearia Luso-Figueirense, Rua Dr. Diniz
Dentistas
Dr. Alberto Bastos - Caes, 33 1.º - Tel. 76
Joaquim Gomes Simões - Rua da Liberdade
Farmácias
Central, de Manuel Ferreira - Rua da República, Tel. 86
Faria, de Joaquim S. Monteiro, Caes, Tel. 76
Franco, de Rodrigues & Malva, Rua da Bica
Garcia, de Mário Garcia da Rosa, Praça Velha, Tel. 197
Hospital da Misericórdia - Pátio de S. António
Sotero, de Manuel Sotero, Praça Nova, Tel. 22
Sena Cardoso & C.ª, de Sena Cardoso & Carteado Malheiro - Caes
Mendes & Pereira, de Eduardo A. Mendes, Rua da liberdade, 76
Simões, de Joaquim Gomes Simões, Rua da Liberdade
Fotografias
Braga, de Edmundo Braga - Rua Bernardo Lopes
Europa, de J. A. Barreira Marques - Rua dos Banhos
Peninsular, de António Monteiro - R. Dr. Calado (Frente ao Casino Peninsular)
Pereira Monteiro, de Joaquim Pereira Monteiro (junto ao Café-Casino-Europa)
Garages
Central, de António Heleno, Rua Dr. Calado, 74
Moderna, de José Simarro - R. Cândido dos Reis, 11-15 - Tel. 256
Garage de João Simões - Rua dos Banhos, 100 - Tel. 52
Parque, de Guilherme d'Almeida, Rua Dr. Diniz
Luzitana, de Mira & Silva Moura - Rua Dr. Diniz
Hotéis e Pensões
Aliança, de Júlio Martins - Praça Nova, Tel. 153
Jardim, de Adriano Cerveira Baptista - Passeio Infante D. Henrique
Sampaio, de José Rodrigues Calado - Rua Detrás da Alfândega
Pensão Albertina, Rua da República, 84
Aliança, de Júlio Martins - Rua Miguel Bombarda, 10 - Tel. 155
Central, de Carlos Baptista - Rua Bernardo Lopes, Tel. 108
Internacional - Rua da Liberdade
Martinho, de Eduardo Martinho, Rua da Liberdade
Mondego, de Aires B. Lopes
Paris - Rua da Saudade
Reis, de Mira & Silva Moura - Rua Dr. Diniz, 51
Universal, de Maria da E. Vieira - Rua dos Banhos
Pensão Beira-Mar, de António Dias Pestana - Largo Coronel Galhardo
Pensão Demétrio, de Demétrio Pinto - Rua dos Banhos
Médicos
Alberto Bastos - Caes, 33 1.º
Alberto Borges- Rua da República
António Sotero - Praça Nova
Francisco Águas de oliveira - Rua do Paço
Frederico Nogueira de Carvalho - Rua 5 de Outubro
José Gomes Cruz - Praia de Buarcos
José Salinas Calado - Sub-delegado de Saúde - Praça Nova
Marcos postaes
Rua da Indústria - defronte do Café-Casino Europa
Praça Nova
Praça Velha
Postos médicos e de Enfermagem
Caes -Dr. Francisco Águas d'Oliveira - enfermeiro, Pedro Rodrigues
Hospital da Misericórdia - Dr. Frederico Nogueira de Carvalho - enfermeiro José A. da Costa Sales
Praça Nova - Dr. António Sotero - Enfermeiro, Manuel Ferreira Cavaco
Travessa da Alfêndega - Dr- José Calado - Enfermeiro, José d'Almeida
Trens de aluguer
Albano Custódio - Rua Nova - Tel. 28
Sucursal: Rua Dr. Calado - Tel. 35
Alexandre Ferreira - Esplanada, 6 e 7
António Neves d'Oliveira - Rua Direita do Monte
José Gameiro - Rua Direita do Monte
Manuel Curado - Rua Dr. Diniz
Manuel Gomes Faia - Rua Miguel Bombarda, n.º 15
Viúva Ferreira - Rua Dr. Diniz
Veterinários
Dr. Luís dos Santos Fernandes Coelho - Rua da Fonte, 64 - Tel. 144
Dr. Alfredo d'Almeida Ferreira de Sousa - Capitão de Artilharia 2 - Rua da Fonte, 109
Vice-Consulados
Bélgica - João da Silva Pestana
Brasil - Henrique de Barros
Espanha - Dr. João Rebelo
Dinamarca - João Costa
França - Fernando Mendes (Agente consular)
Holanda - Dr. António Rainha
Inglaterra - Jorge F. Laidley
Itália - Henrique Mendes
-
Residem na Figueira da Foz, familiares de algumas das pessoas cujos nomes vêm referidos na lista acima mencionada.

O pensamento do dia

Não caias nessa doença do carácter que tem por sintomas a falta de firmeza para tudo, a leviandade no agir e no dizer, o atordoamento,...: a frivolidade, numa palavra.Essa frivolidade, que - não o esqueças - torna os teus planos de cada dia tão vazios ("tão cheios de vazio"), que se não reages a tempo - não amanhã; agora! - fará da tua vida um boneco morto e inútil.
Josemaría Escrivá

terça-feira, 17 de julho de 2007

Para a história do desporto figueirense

O primeiro jornal desportivo da Figueira da Foz

Reproduzo a capa do n.º 1 de "Figueira Sport", o primeiro jornal desportivo que se publicou na Figueira da Foz, que tinha como redactor principal o poeta António Pinto d'Almeida (António Amargo), como editor Horácio Domingues e redactores António Augusto Esteves (Carlos Sombrio) e Levy Guerra de Oliveira.
Na capa, uma foto das equipas da Naval e do Ginásio, que, a 1 de Maio de 1921, disputaram um desafio amigável, que os navalistas venceram por 3-0.
Neste exemplar (possuo a colecção completa), para além da apresentação e doutros artigos de interesse, é focada a primeira edição do Bronze Humberto Mendes, em que participaram o Sporting Clube Conimbricense, Sport Clube Conimbricense, União Futebol Coimbra, Clube Operário Coniumbricense, Ginásio Clube Figueirense, Associação Naval 1.º de Maio e Grupo Instrução e Recreio da Praia de Buarcos (GIS).
Com desenvolvimento noutras edições de "Figueira Sport", verificou-se o triunfo da Naval 1.º de Maio, que, na final, derrotou o Sporting Clube Figueirense por 4-1
Alinharam pela Naval: Manuel Ramos, Guido e Figueiredo; Gaudêncio, Guia e Torres; J. Oliveira, Américo, Castanho, Mário e A. Oliveira.
O SCF apresentou: Álvaro, Marques e Loureiro; Heleno, Arnaldo e Câmara; Ismael, Penicheiro, Bastos, Grilo e Franklim.
Arbitrou Alberto Salvador.

A...s frase...s

Café [novo guarda-redes] espera que a Naval “consiga ficar entre os cinco primeiros, numa vaga para a UEFA, o que seria um grande prémio para a equipa”. Para isso, diz, “há condições”, pois “a Naval tem uma boa equipa”.
In RECORD on line

O pensamento do dia

O homem está sempre disposto a negar aquilo que não compreende.

Luigi Pirandello

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Efemérides

16 de Julho de 1882
É publicado o primeiro número do jornal "Ecos da Figueira"
16 de Julho de 1938
Realiza-se no Teatro Peninsular, na Figueira da Foz, a estreia dum pequeno filme, amostra de uma produção de grande metragem a realizar pelo jornal Sport-Cine, sob a orientação de J. Oliveira Santos mas que nunca saiu do projecto.
A fotografia era da autoria de Manuel dos Santos.
16 de Julho de 1939
Inaugura-se em Buarcos um posto de Fiscalização de Leite, que ficou instalado na Rua de S. Francisco.

O pensamento do dia

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perde mos também a felicidade.
Carlos Drummond de Andrade

domingo, 15 de julho de 2007

Palavrões

Li e concordei, em absoluto, com o que escreveu José António Saraiva, na revista TABU, suplemento do SOL, de que é director.
Aproveito para transcrever alguns pontos que achei interessantes.
Por exemplo, e tudo a propósito de palavrões, uma linguagem muito comum entre aqueles para quem o português apresenta inúmeras dificuldades de comunicação.
"Descobri há tempos que o facto de se usarem os palavrões como muletas simplifica muito as frases - e isso é em parte responsável pela dificuldade de expressão que a maioria das pessoas revela, por exemplo, na televisão, em que o uso do palavrão está naturalmente interdito.
Em frases do tipo "Anda lá com essa m....", Essa m..... nunca mais está pronta, "Vai mas é à m...." é usada para tudo [até à mesa, acrescento eu, e conheço-os bem...] substitui tudo, pode pôr-se em qualquer lugar da frase e fica sempre bem. (...) Basta isto para perceber que o uso de palavrões empobrece a língua e reduz o vocabulário".
(...) Concluo, portanto, que os palavrões não sõ me incomodam a mim. O seu uso generalizado, por homens e por mulheres, empobrece a língua, torna-a menos subtil, mais primária. E isso, aliado às mensagens SMS, onde a linguagem se reduz ao básico, vai fazendo com que o ser humano seja cada menos rico naquilo que o distingue dos animais: a fala".
-
Creio que esta carapuça vai entrar, à medida, em muitas cabeças de conhecidos meus... dos que pensam que falar mal é chique, mas que, no fundo, traduz apenas o seu conjhecimento do idioma nacional e a fraqueza dos seus argumentos e do seu discurso. E por que não falar de má educação???

Futebol

Café na Naval

Rodrigo Peters Marques, mais conhecido por RORIGO CAFÉ, é mais um reforço para a Naval. Guarda-redes, com um currículo digno de menção, estava no Bahia, emprestado pelo Coritiba, e era pretendido pelo Vasco da Gama.
A colónia brasileira invade, novamente, o emblema figueirense.
Assim, a Naval passa a contar com os guarda-redes Taborda, Dani e Café, tudo levando a crer que o júnior Mauro regresse à equipa do seu escalão, para disputar o nacional da 1.ª divisão da categoria na próxima época.

Porque hoje é Domingo

"Mais facilmente pode uma cidade dispensar território do que a fé em Deus."
Plutarco

sábado, 14 de julho de 2007

Pois, pois...

O que eles querem é festa...

"(...) faz falta hoje a Lisboa um candidato como Santana Lopes.
Que teria contra ele a sua lendária instabilidade; mas que contabilizaria a seu favor um sentido da festa e do espectáculo que falta notoriamente a estes candidatos" [os candidatos à Câmara da Capital]

José António Saraiva, Director do "SOL"

Efemérides

14 de Julho de 1958

Iniciam-se, junto ao Jardim Municipal, as obras do novo Palácio da Justiça da Figueira da Foz. Neles é utilizada uma brigada composta por detidos em diversos estabelecimentos prisionais.

O pensamento do dia

Aquele que não recorda o passado está condenado a esquecer onde estacionou o carro.
D. R.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Actualidades...

O zoo aqui tão perto!!!


(Foto de Carlos Costa on line)


Esta manhã fui visitar o EUROPARADISE, Parque Zoológico de Montemor-o-Velho. É, na realidade, um verdadeiro paraíso natural, onde vivem, num ambiente muito sui-generis, centenas de animais das mais variadas espécies.
O Parque, inaugurado em 1998, carece de apoios, e só devido a um casal que dedica a sua vida aos animais, tem sido possível manter este recanto, cuja visita demora cerca de duas horas.
Penso que o Parque é desconhecido para a maioria dos figueirenses, mas aqui fica a sugestão, pelo menos para os meus ilustres visitantes. Vão até Montemor-o-Velho, e visitem um local muito especial, onde a natureza é fértil em vos proporcionar momentos inesquecíveis.


Pois, pois...

E ainda dizem mal dos supermercados...
Afinal, as peixeiras e não só, vão às compras aos supermercados...
"Peixeiras do mercado municipal [Figueira da Foz] queixam-se do “monopólio” dos armadores, vendo-se “obrigadas” a comprar sardinha nos supermercados, a preços convidativos.
Várias peixeiras do mercado queixam-se que a Cooperativa de Produtores de Peixe Centro Litoral vende a sardinha aos supermercados “ao preço da chuva”. Por causa disso, no S. João, algumas delas foram comprá-las às superfícies comerciais, por 99 cêntimos o quilo, que, depois, venderam entre três e cinco euros. Porém, as críticas não são consensuais.
Entretanto, rebentou a “guerra da sardinha”, entre as vendedoras de peixe.Fernanda Gonçalves, Maria José Santos (Zeza) e Helena Simões afirmam que na quadra de S. João tiveram de ir comprar sardinha da costa figueirense a uma média superfície comercial da cidade.
Além de terem comprado a um distribuidor de Peniche. “Para nós não houve sardinha, mas para os restaurantes e supermercados não faltou, ao preço da chuva!”, verberavam as peixeiras.
A citada estrutura de pesca, acrescentaram, “vende sardinha à consignação, nos supermercados, e a que sobra vai para a fábrica de conservas”.
“Comprei sardinha no supermercado, sim senhor! Compro onde vendem mais barato!”, admitiu Zeza. Porque “aquilo que a cooperativa (de produtores de peixe) é concorrência desleal!”, explicou. E acusou outras “peixeiras com restaurantes” de terem comercializado sardinha no mercado no âmbito do protocolo com a cooperativa, que só era válido para os restaurantes aderentes à Festa da Sardinha."
In AS BEIRAS on line
-
E digo eu: Se o comércio tradicional também vai comprar aos supermercados, aonde é que há-de ir o Zé?... E depois queixam-se...

Futebol

Mais um reforço para a Naval
"Fabrício Lopes Alcântara, defesa-central brasileiro de 23 anos, é apresentado amanhã como jogador da Naval.
Com 1,89 m, o jovem já jogou na Líbia (Al Itihad), Itália (Torino) e Hong-Kong."
In RECORD on line

O pensamento do dia

A paz nunca chega de surpresa. Não cai do céu como a chuva. Vem ter com quem a prepara.

Sabedoria ameríndia

quinta-feira, 12 de julho de 2007

A frase

"(...) as pessoas não gostam dos Partidos"

Carmona Rodrigues, candidato independente à Câmara Municipal de Lisboa

Por esse mundo fora

Folclore tropical

Recordação de uma viagem ao Haiti (AJM)

Futebol

Nei no CSKA de Sófia (Bulgária)

A última foto de Nei na Figueira da Foz (AJM)


"A saída de Nei será oficial durante o dia de hoje. O jogador, que nos últimos dias tem sido poupado nos treinos, está mesmo de partida para o CSKA de Sófia. Record sabe que o acordo entre clubes é fechado hoje, viajando Nei para a Bulgária amanhã, a fim de realizar exames médicos e assinar de seguida um contrato válido por três temporadas.
Entretanto, depois do jogo frente a uma selecção da Guarda, Francisco Chaló abdicou de Oliveira, Vavá e Peixoto. Os dois primeiros vão ser emprestados, enquanto o último, que não tinha contrato, foi dispensado."
In Record on line

Curiosidades

O progresso em 1930

Foto publicada na revista "LUSITÂNIA", com redacção no Rio de Janeiro, em Fevereiro de 1930, contendo a seguinte legenda:
"O PROGRESSO CONSTANTE DA CIDADE DO PORTO -
As formosas e elegantes camionettes que acabam de apparecer, no Porto, para serviço público e que deram à cidade uma physionomia moderníssima".

Arte

Arte durante a 2.ª Grande Guerra

"Fantasia Oriental", uma foto de Silva Nogueira, publicada no n.º 25, de 15 de Outubro de 1941, na revista "MUNDO GRÁFICO", dirigida por Artur Portela.

Efemérides

12 de Julho de 1888
O comboio chega à Figueira da Foz pela linha do Oeste, ligando, desta forma, por caminho de ferro, Lisboa com a Praia da Claridade.
12 de Julho de 1892
Naufraga e dá à costa, junto á Praia de Banhos da Figueira, o patacho "Lidador", com carregamento de pipas e garrafas com vinho.

O pensamento do dia

"Ser digno de amor é condição para ser amado. Não espere por se apaixonar; comece a amar colocando o seu comportamento no lugar do seu coração. Qualquer pessoa que não tente continuadamente conquistar o amor, não o merece. Para mim, a questão-chave não é "Estou apaixonado?" mas "Estou a comportar-me de forma a merecer o amor?"."
Paul Pearsall in "A Vida é mais simles quando pensamos menos nela"

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Futebol

Mais um: MARCELINHO

A Naval, cuja equipa se encontra a estagiar em Nelas, anunciou o seu mais recente reforço, por três épocas, o avançado MARCELINHO, de 23 anos, que actuava no Avai (Brasil).
Tudo leva a crer que este novo reforço surja para substituir NEI, cuja saída parece incontornável, dados os valores que estão a surgir para a transferência do atleta que se notabilizou na época finda, como melhor marcador da equipa figueirense,com a obtenção de dez golos.

Luz verde

Galegos ficam com Estaleiros do Mondego

"Um grupo de Vigo vai ficar com os Estaleiros Navais do Mondego e com a Naval Centro, comprometendo-se a fazer avultados investimentos e duplicar o número de trabalhadores.Um grupo de Vigo deverá fechar negócio nos próximos 30 dias com os Estaleiros Navais do Mondego. A compra inclui os estaleiros Naval Centro. Segundo o DIÁRIO AS BEIRAS apurou, os galegos vão proceder a avultados investimentos e duplicar o número de trabalhadores, passando dos actuais 60 para cerca de 120, no prazo de um ano. Por enquanto, ninguém quer falar no montante envolvido.Fonte da administração dos Estaleiros Navais do Mondego avançou: “há uma fundada expectativa de que foram encontrados os parceiros estratégicos que procurávamos”. A prudência explica-se com as fracassadas negociações, que se arrastaram durante vários meses, com os holandeses da Sextocasco. Porém, ao que parece, o negócio com os espanhóis está garantido.“Com este negócio, a Figueira passará a ser o maior centro de construção naval do país”, garantiu fonte que acompanha o processo. Os galegos vão construir diversos tipos de embarcações, para responder ao aumento da procura, a nível mundial. Entretanto, vão apostar na qualificação da mão–de–obra disponível. As negociações entre as duas partes começaram há cerca de cinco meses.Os Estaleiros Navais do Mondego pertencem a uma Sociedade de Gestão de Participações Sociais da Fundação Bissaya Barreto. A crise bateu–lhe à porta quando a portuguesa Soflusa optou por mandar construir vários catamarans na Oceania, apesar da sua proposta ter ganho o concurso internacional, há seis anos. Sem salários em atraso, a estrutura tem–se mantido activa. De resto, entrega hoje uma embarcação de alumínio a um armador francês.O grupo empresarial da Galiza também está interessado nos estaleiros Navalfoz, cujo processo de insolvência decorre no Tribunal da Figueira da Foz. Neste momento, os espanhóis, assim como outros eventuais interessados, aguardam que o Instituto Portuário lance o concurso público do alvará daqueles estaleiros, igualmente situados na margem sul do Mondego".
In AS BEIRAS on line

Poesia

Cristo

Quando eu nasci, Senhor!, já tu lá estavas,
Crucificado, lívido, esquecido.
Não respondeste, pois, ao meu gemido,
Que há muito tempo já que não falavas...



Redemoinhavam, longe, as turbas bravas,
Alevantando ao ar fumo e alarido.
E a tua benta Cruz de Deus vencido,
Quis eu erguê-la em minhas mãos escravas!



A turba veio então, seguiu-me os rastros;
E riu-se, e eu nem sequer fui açoitado,
E dos braços da Cruz fizeram mastros...



Senhor! eis-me vencido e tolerado:
Resta-me abrir os braços a teu lado,
E apodrecer contigo à luz dos astros!


José Régio

Para a história do desporto figueirense

1.ª Braçada - Um marco da natação figueirense


O Ginásio Clube Figueirense tem dedicado à natação o melhor de si, alcançando êxitos relevantes a nível nacional, e contando no seu historial com uma organização que marcou uma época.
Refiro-me à 1.ª Braçada, inciativa que teve o seu começo nos finais dos anos 60, prolongando-se, ainda, até ao início dos anos 70.
Recorda-se, aqui, as finais de 1971, efectuadas na Piscina -Praia, que contaram com a participação de cerca de centena e meia de jovens dos 5 aos 12 anos, vindos de todo o país. Uma noite memorável num recinto que, pela mão do saudoso Augusto Silva, permitiu o desenvolvimento daquela actividade desportiva.

O pensamento do dia

A vida é uma comédia para os ricos, um jogo para os tolos, um sonho para os sábios e uma tragédia para os pobres.

Sholem Aleichen, escritor e dramaturgo

terça-feira, 10 de julho de 2007

Escola

Mal vai um país quando é notícia o facto de uma aluna (creio que de Peso da Régua) ter obtido 20 valores em matemática.
Se quisermos perder (ou ganhar) um pouco de tempo a pensar que o ideal seria este acontecimento, ou mesmo com notas académicas um pouco abaixo, ser o trivial, damos conta do estado do ensino (ou da aprendizagem) em Portugal.
Será que um dia o estudo se irá pautar por notas positivas e notícia ser o facto de haver uma negativa?

O pensamento do dia

Não me incomodo por as pessoas chegarem ao teatro depois de começado o primeiro acto. O que me aborrece são as que saem antes do fim do tereiro.
Eduardo de Filippo, autor, actor e produtor teatral italiano.

segunda-feira, 9 de julho de 2007

efemérides

9 de Julho de 1903
Morre em Trancoso, o Conde de Tavarede, que foi proprietário da Casa do Paço dos Condes daquela localidade, freguesia da Figueira da Foz. Tinha 54 anos, era fidalgo da Casa Real e Comendador da Ordem da Conceição e da de Carlos III de Espanha. Tinha sido governador civil da Guarda e deputado da Nação.
9 de Julho de 1905
O ciclista figueirense, do Ginásio, José Bento Pessoa, vence, em lisboa, o campeonato de Portugal.
9 de Julho de 1938
Morre o oficial da Armada, antigo capitão do Porto e presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Alfredo Soveral Martins.

O pensamento do dia

Um bom susto vale mais do que um bom conselho.
E.W.Howe

domingo, 8 de julho de 2007

Para a história do desporto figueirense

Passaram-se 50 anos

Completaram-se, em Maio, 50 anos, sobre a edição do número único dedicado à Associação Naval 1.º de Maio, por ocasião do seu 64.º aniversário.
Da minha responsabilidade, o jornal foi editado em Maio de 1957, e nele colaboraram várias individualidades do burgo, entre as quais meu Pai, Aníbal Correia de Matos (vice-presidente da direcção), Jaime da Silva Viana (presidente), João Bravo e António Jorge Domingues.
Do documento, "organização de um grupo de jovens figueirenses", impresso a verde, constam alguns factos relevantes da vida da colectividade figueirense, e ali se encontram referências ao então ecletismo do clube, com modalidades como o futebol, badminton, basquetebol, remo, ginástica, natação, tiro, voleibol.
Não foram esquecidas algumas das personalidades que ajudaram a construir a Naval, como António Cachola (símbolo do sacrifício desportivo), António Augusto Esteves (Carlos Sombrio), António Joaquim Neves, David Viana, Artur de Carvalho (o "velho" contínuo), Joaquim de Sousa Brás, Eduardo Mourinha, Edmundo Arnaldo Rodrigues, entre outros.
Destaco algumas palavras escritas pelo meu saudoso amigo, João Bravo, num artigo sob o título "Se o verde é Esperança tenhamo-la de um Futuro melhor":
.
"É a nós, jovens entusiastas, que compete completar a obra encetada pelos nossos antepassados.
Que o seu belo exemplo cale bem fundo em nossos corações, para que possamos elevar cada vez mais a nossa querida Associação.
E se é verde a cor da nossa Bandeira, se essa cor simboliza esperança, tenhamos esperança no Futuro, que pode muito bem apresentar-se risonho.
Ele está nas nossas mãos. Façamos a nossa obrigação e a Naval terá jus à imortalidade do seu nome e das suas gloriosas tradições."

Como vai este país?

O Senhor Feliz e o Senhor Contente, cantariam este estribilho: "Diga à gente, conte à gente, como vai este país?"
"Os funcionários de investigação criminal da Polícia Judiciária (PJ) lamentaram este sábado o desaparecimento de 100 mil euros apreendidos durante operações contra redes de tráfico de droga, considerando que a situação «envergonha» os trabalhadores da instituição."
In Diário Digital

efemérides

8 de Julho de 1840
Nasce na cidade da Horta (Açores), Manuel de Arriaga, que foi presidente da República e grande admirador da Figueira da Foz, onde ia passar o Verão em vários anos.
8 de Julho de 1851
A Câmara Municipal da Figueira da Foz delibera fazer uma representação a Sua Majestade, o Rei, para que lhe seja concedido um brasão de armas.

Porque hoje é Domingo

Se alguém julga ser alguma coisa quando não é nada, engana-se a si mesmo. Cada um deve julgar as suas acções. E, se tiver motivo de orgulho, que seja apenas consigo mesmo, sem se comparar com os outros. Pois cada um tem as suas próprias dificuldades para suportar.
Gálatas, 6: 3-5

sábado, 7 de julho de 2007

Poesia

Proposta para a invenção do ano
-
Proponho uma nova ponte com alicerces
de água
e
nas tuas mãos
Proponho dedos ainda mais longos
indomáveis fáceis de sentir
Proponho uma tempestade simplesmente calma
e um banco de mármore para estar atento
Proponho um silêncio marítimo nos teus olhos grandes
ou verdes
Proponho também um silvado com amoras
e uma lagartixa amável
por entre o musgo-sorriso das pedras
Proponho uma viagem para o lado de cá
através das artérias do que imaginamos
Proponho arrombadores de portas
eficientemente contra o aço e os alarmes
Proponho um acender de luzes logo à noite
tão pródigo e ofuscante como projectámos
entre duas taças de cansaço
Proponho se é que não te importas
um passeio
pelo outro lado da nossa paisagem
Proponho outras coisas contra o silêncio que é agora
um gesto
Proponho esse gesto para a invenção
do ano
-
Manuela Freire Graça
(1.º Prémio de poesia lírica dos 13.ºs Jogos Florais do Grupo Desportivo da CUF-1969)

Para descontrair...

Mantorras é que sabe...!
O Prof. Marcelo Rebelo de Sousa pediu ao Mantorras para dar uma nota numa escala de 1 a 10 ao Benfica. Mantorras 'dispara': - Nota dez, professor. - Dez?!? - Sim... Dézorganizado, Dézmotivado, Dézestabilidado, Dézactualizado, dézqualificado, Dézanimado, Dézmoralizado, Dézordenado, Dézactivado e Dézmantelado.
Diz o Professor: - Bem, dez vezes dez, dá cem. - É isso professor... Cem vergonha, Cem títulos e Cem nada!!!
Recebida por e-mail

Futebol

Uma trilogia de respeito...






Fernando, que disse cobras e lagartos da Naval, acusado de ter vendido jogos aos adversários...


Rogério Gonçalves (ex-treinador da Naval, do Sporting de Braga e, actualmente, do Beira-Mar...


Mariano Barreto, ex-treinador do Marítimo e da Naval... que me disse que todos os técnicos anteriores à sua passagem pela Naval (incluindo ele próprio) tinham em Fernando o maior obstáculo ao trabalho dos técnicos.

E agora: Rogério Gonçalves levou Fernando para o Beira-Mar. Viva o futebol!!!






efemérides

7 de Julho de 1954

Morre, com 80 anos, o ciclista figueirense, do Ginásio, José Bento Pessoa, recordista mundial e campeão de Espanha.
O nome mais sonante do desporto figueirense, com grande relevância no desporto nacional e mundial, deixou a sua marca nos vários velódromos em que competiu.
Na foto, José Bento Pessoa visto por Roque Gameiro, em 1895.

O pensamento do dia

A morte é um atributo essencial da vida, e a vida nunca deve transformar-se num hospital ou clínica em que não ousamos viver com medo da morte. O medo da morte é um companheiro necessário à nossa existência, mas não devemos permitir que ele influencie a nossa existência. O essencial é saber viver.
Félix Martí-Ibáñez (Médico)

sexta-feira, 6 de julho de 2007

Para a história da Figueira - LXXXIX

Na obra PORTUGAL DOS NOSSOS DIAS, com o subtítulo de "Vermelhos, Brancos e Azuis", da autoria de Rocha Martins, da Academia das Ciências de Lisboa, editada em 1951, podem ler-se no capítulo dedicado a Álvaro Xavier de Castro que, entre outros cargos, exerceu as funções de Ministro da Justiça no Gabinete de Afonso Costa, algumas passagens em que figura a Cidade da Figueira da Foz.
Álvaro de Castro que teve um papel extremamente relevante na Revolução de 14 de Maio de 1915, que derrotou a Ditadura presidida pelo general Pimenta de Castro.
Acerca do Gabinete ministerial empossado a 12 de Dezembro de 1914, levantaram-se, como conta Rocha Martins, "todos os partidos à excepção do Democrático. O proletariado levantava-se (...) Correu uma imerecida alcunha que logo se colou a Governo. Era a dos "Miseráveis de Vítor Hugo". A frase teve êxito."
(...) "Naquele intervalo, dera-se, na Figueira da Foz, o incidente em que figurava o major João Carlos Craveiro Lopes transferido do Regimento 28, para o 19, em virtude de um caso puramente particular mas no qual interviera um elemento democrático, embora de pequena categoria.
Os oficiais, do 28, protestaram e igualmente os de Artilharia 3, também aquartelado na Figueira da Foz. Em várias unidades tomou vulto a acção que chegou à guarnição de Lisboa, que se manifestou pelo que ficou conhecido na História sob a designação de "Movimento das Espadas"."
Ah Leão !!!


efemérides

6 de Julho de 1915

Nasce, em Santa Comba Dão, meu Pai, o jornalista Aníbal Correia de Matos.
6 de Julho de 1630
Por carta régia fora mandadas colocar algumas peças de artilharia no Forte de Buarcos.
6 de Julho de 1958
A Banda da Sociedade Filarmónica Figueirense estreia os seus novos fardamentos, adquiridos por subscrição pública.

O pensamento do dia

Quando estamos com a razão, podemos permitir-nos conservar a calma, e quando não estamos com a razão, não nos podemos permitir perder a calma.
Ghandi

quinta-feira, 5 de julho de 2007

As grandes figuras nacionais

O nosso Eça!


Eça de Queirós, com a sua fina e cinzelada máscara de marfim e o seu kimono chinês,bordado de dragões e de lotus de ouro. "O Mandarim". Eça havia atingido a suprema beleza da forma e a mais límpida expressão de ironia.



O romancista lê o "Fígaro" que, ao tempo, era o padrão do jornalismo literário francês.



Numa hora de intimidade, no jardim da sua casa em Neully, Eça mostra um livro de imagens a seus filhos. É já o regresso enternecido à "Cidade e as serras".

Eça de Queirós foi uma das mais brilhantes figuras da cultura portuguesa. Para além de romancista inultrapassável no seu estilo irónico, sagaz, a demonstrar uma extraordinária vivacidade de espírito, teve ainda um percurso político digno de menção.

Nascido em 25 de Novembro de 1945, na Póvoa do Varzim, faleceu em Paris a 16 de Agosto de 1900, vão completar-se, no próximo mês, 107 anos.

De entre as suas obras literárias, desacam-se O Crime do Padre Amaro, O Primo Basílio, A Capital, Os Maias, A Ilustre Casa de Ramires e a Cidade e as Serras.



Para descontrair...

Um governador provincial queria construir uma ponte e, para esse efeito, foi aberto um concurso público. Concorreram três empreiteiros: um Chinês, um Português e um Angolano:
Proposta do Chinês: 3 Milhões de Dólares. - 1 Milhão pela mão-de-obra; - 1 Milhão pelo material; - 1 Milhão para lucro.
Proposta do Português: 6 Milhões de dólares. - 2 Milhões pela mão-de-obra; - 2 Milhões pelo material; - 2 Milhões para lucro.
Proposta do Angolano: 9 Milhões de dólares.
-"Nove Milhões?", admirou-se o Governador provincial? É demais! Porquê tanto?" Respondeu o empreiteiro Angolano:"? simples": - 3 Milhões para mim; - 3 Milhões para si; - 3 Milhões para o Chinês fazer a obra...

efemérides

5 de Julho de 1842
É fundada a Sociedade Filarmónica Figueirense.
5 de Julho de 1888
Nasce o escritor figueirense Augusto dos Santos Pinto, que "baptizou" a Figueira da Foz como "Praia da Claridade".

O pensamento do dia

Tudo passa, as nuvens do céu, a vida dos homens, levadas do nascimento até à morte. Não te prendas à cronologia afectiva das coisas. É uma maneira muito má de ver o mundo. Faz de cada segundo uma experiência enriquecedora, sem te inquietares com o tempo que foge e os dias que já não regressam. O presente é a única coisa que não tem fim.
Sabedoria Ameríndia, organização de Jean-Paul Bourre

quarta-feira, 4 de julho de 2007

Para descontrair...

Uma loira acorda, chega ao quintal e depara com um Pinguim.
Ao mesmo tempo, olha para o lado, vê o seu vizinho e diz: - Já viu o que está aqui? Um pinguim! O que é que eu faço?
O vizinho responde: - Não sei! Olhe, leve-o ao Jardim Zoológico.
No dia seguinte, o vizinho olha para a casa da loira e vê-a a sair com o Pinguim preso com uma coleira e pergunta: - Então, não levou o pinguim ao Jardim Zoológico? E a loira: - Levei.... e gostou muito! Hoje vai ao Portugal dos Pequeninos!
Recebida por e-mail

efemérides

4 de Julho de 1902
Em Coimbra, a Filarmónica Figueirense abrilhanta as Festas da Rainha Santa.
4 de Julho de 1909

Visita a Figueira a cavalhada de Tavarede.
4 de Julho de 1926
Realiza-se, no Parque-Cine (Figueira da Foz), um brilhante sarau desportivo, organizado pelo jornal "Figueira Desportiva". A Banda de Infantaria 28, dirigida pelo sub-chefe António Fernandes, abrilhantou o sarau.

O pensamento do dia

A morte caça os jovens espreitando-os, como é hábito do homem e outros animais traidores, e não dando a cara, como combate o leão.
Aos velhos, a hiena da morte domina-os à força de paciência, com pancadas isócronas de relógio, em voos (até graciosos e airosos) de folhas do calendário do Outono (brancas, amarelas, ocres, às vezes cinzentas às bolinhas cor de sangue, cor de óxido, da cor que a nicotina deixa nos dentes dos mais ruins e poéticos verdugos).
Camilo José Cela, Prémio Nobel da Literatura em 1989

Para descontrair...

Recebido por e-mail


terça-feira, 3 de julho de 2007

Para a história do desporto figueirense



Isabel Barrué

A natação figueirense e a do Ginásio em particular, tiveram nos anos 60 uma das suas mais destacadas atletas.

Isabel Barrué, filha dum antigo nadador, treinador e dirigente do Ginásio Clube Figueirense, Edmundo Barrué, notabilizou-se, na sua época, com títulos e recordes regionais e nacionais, actividade culminada com a sua internacionalização.

A antiga atleta do Ginásio é hoje funcionária da 2.ª Repartição de Finanças, na freguesia de Buarcos (Figueira da Foz).

Para a história da Figueira - LXXXVIII

Do "Jornal-Reclamo", n.º 230, de 15 de Junho de 1940
"Há aproximadamente vinte anos que a Câmara Municipal da Figueira da Foz, da presidência do Dr. Joaquim José Cerqueira da Rocha, se ocupou, pela vez primeira, em dotar a cidade com uma Bandeira, consoante as novas directrizes da Heráldica. Em sua sessão de 1 de Abril de 1922, examinados dois projectos que foram presentes, deliberou, por unanimidade, adoptar o da autoria dos srs. Dr. F. Navarro de Valadares e António F. Piedade. Mas a Associação dos Arqueólogos, pela secção de Armaria, a quem incumbe o estudo das Armas, Bandeiras e Selos dos Concelhos, deu parecer desfavorável, e o projecto escolhido não obteve a aprovação de Sua Excelência o Senhor Ministro do Interior. Esta pendência têm-se mantido insolúvel, dando como resultado ser o nosso concelho, o único do distrito, que não tem brasão oficial, situação aviltante que importa terminar.
O Senhor Dr. Rui M. Nogueira Ramos, ilustre Presidente da Câmara Munciipal, que, brilhantemente, tem posto ao serviço dos interesses deste concelho a sua esclarecida inteligência e devotada dedicação, assim o entendeu também, e há meses que vem envidando esforços, para que a lacuna da ordenação heráldica da cidade seja corrigida. Não está ainda solucionado o conflito, mas das diligências feitas se infere que, num futuro muito próximo, esta cidade terá Armas privativas oficiais. E assim, aproveitando as negociações feitas em tal sentido, não quis o Sr. Presidente da Câmara, e muito bem, que a cidade deixasse de se representar, com o seu estandarte, na cerimónia cívico-religiosa realizada no transacto dia 8, em Coimbra, perante os túmulos de D. Afonso Henriques e D. Sancho I. Mercê de tão decidida quão criteriosa deliberação, pôde a Figueira da Foz cumprir aquele sagrado dever cívico, dignificando-se e não criando, pela sua ausência, o menosprezo dos poderes públicos.
Os figueirenses, Srs. António Piedade e D. Aida Pereira Ótão, aquele desenhando, e esta, ora dirigindo, ora executando, deram vida à concepção e conseguiram, pelo seu muito saber, apresentar um trabalho que os honra e firma os seus créditos de bons Artistas.
Sem embargo de a considerar provisória, uma vez que ainda não foi cnfirmada pelo Ministério do Interior, tem já o Município Figueirense nova Bandeira, vinculada, nas suas linhas gerais, ao projecto aprovado pela Câmara Municipal, em 1922, mas constituída, agora, segundo as regras da heráldica.
A bandeira, de seda, de forma quadrada - 1mx1m - é esquarteada de quatro peças de amarelo (símbolo da riqueza, justiça, magnanimidade e amor) e quatro de azul (divisa da doçura, da amenidade e bondade), com cordão da mesma cor. Ao centro, destaca-se o escudo com o campo dividido verticalmente em duas partes iguais, vendo-se na primeira pala as armas de Portugal referidas a D. José I, o monarca que de jure deu autonomia municipal à Figueira da Foz; e na segunda pala, as antigas armas da vila de Buarcos, conforme se descobriam no seu pelourinho de arca. Em campo de ouro, um barco azul sobre um mar de prata, no contra-chefe, e a envolver o barco um arco, verde (cor da esperança e urbanidade), tendo inclusa a figura natural, estrela azul, de seis raios, no chefe, duas quinas com seus bestantes. O brasão é encimado, como convém a uma cidade, por uma coroa mural, de prata (cor da beleza, ingenuidade, lealdade e franqueza), de cinco castelos; e, na parte inferior, envolvendo artisticamente o brasão, destaca-se, em listão branco, a divisa - Figueira da Foz.
....
Dando remate a estas singelas achegas para a história da Bandeira da cidade, deixamos aqui consignadas as nossas felicitações aos distintos artistas Srs. D. Aida Pereira Ótão e António F. Piedade pela mestria que a execução patenteia, e ao Sr. Dr.Rui M. Nogueira Ramos, ilustre presidente da Câmara Municipal, pela decisão acertada de fazer representar a cidade com o seu estandarte, na cerimónia cívico-religiosa de Coimbra, como era pragmático e o bom nome da nossa terra exigia.
V.G."

efemérides

3 de Julho de 1887
Inicia a sua publicação o jornal "Gazeta da Figueira", dirigido pelo clínico Lima Nunes que, um ano depois, saiu da Redacção para fundar o "Correio da Figueira" com o escritor João Gaspar de Lemos.
3 de Julho de 1911
Quando pretendia salvar um banhista (Elísio Fernandes Ruas, que foi arrastado pelo mar) morreu, também afogado, na Praia da Figueira da Foz, o banheiro Álvaro Loureiro.

O pensamento do dia

Muita gente que se antecipou à sua época viu-se obrigada a esperar por ela em acomodações desconfortáveis...
Stanislaw Jerzy Lec

segunda-feira, 2 de julho de 2007

Droga

"Assunto: POR FAVOR, FAÇAM UM FORWARD A TODOS OS VOSSOS AMIGOS, EM ESPECIAL ÀS MULHERES!

É mesmo importante
Que leiam isto e que passem aos vossos conhecidos!!!·
Aviso importante da Reitoria da Universidade do Porto sobre droga medicamento.
Para quem costuma frequentar discotecas ou lugares semelhantes tenham muito cuidado e estejam alerta quando alguém lhes oferecer uma bebida.
Homens, passem isto às vossas amigas, namoradas, mulheres.
Pais, alertem os vossos filhos! Há uma nova droga que está na moda e que se chama «Progesterex», que é uma pastilha para esterilizar. Progesterex é utilizada por veterinários para esterilizar animais grandes.
Esta droga usa-se em conjunto com Rohypnol, uma droga que ao ser dissolvida em qualquer bebida, produz amnésia (a vítima não se recorda de nada do que se passou!!!).
Progesterex, que também se dissolve facilmente, serve para evitar a gravidez.
Esta droga está a ser utilizada por violadores para abusar das suas vítimas. Desta forma, o violador não tem que se preocupar com testes de paternidade para ser identificado meses depois.
Atenção! Os efeitos do Progesterex não são temporários. Qualquer mulher que tome isso, JAMAIS, entenda-se bem, JAMAIS PODERÁ TER FILHOS!!! Estas pessoas sem escrúpulos conseguem obter este produto muito facilmente em qualquer Faculdade de Veterinária. Também é utilizada para roubos, a homens ou mulheres, ou mesmo para tirar um órgão humano para tráfico de órgãos!
O Progesterex está a ser divulgado em muitos lugares havendo mesmo sites que ensinam a usá-lo.
POR FAVOR, FAÇAM UM FORWARD A TODOS OS VOSSOS AMIGOS, EM ESPECIAL ÀS MULHERES!
Não custa nada e pode evitar problemas...
Maria João Amaral
Reitoria da Universidade do Porto
Serviço de Apoio Reitoria
Rua D. Manuel II4050 – 345, Porto, Portugal
Cumprimentos, e não ignorem simplesmente..."
...
Recebido por e-mail

Para descontrair...

Um mecânico está a desmontar o motor de uma mota, quando vê na sua oficina um cirurgião cardiologista muito conhecido. Ele olha para o mecânico a trabalhar. O mecânico pára e pergunta: - Ei, doutor, posso fazer-lhe uma pergunta? O cirurgião, um tanto surpreso, concorda e vai até perto da mota na qual mecânico está a trabalhar.
O mecânico levanta-se e começa: - Doutor, olhe para este motor. Eu abro-lhe o coração, tiro as válvulas,conserto-as, ponho-as de volta e fecho novamente. Quando eu termino, ele volta a trabalhar como se fosse novo. Porque será que eu ganho tão pouco e o senhor tanto, quando o nosso trabalho é praticamente o mesmo?
O cirurgião dá um sorriso, inclina-se e fala baixinho ao ouvido do mecânico: - Tente fazer isso com o motor a funcionar...!!
Recebida por e-mail