segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Para a história da Figueira CCLXXIII

Um figueirense ilustre
Acácio Antunes nasceu há 160 anos
 
 
Acácio Antunes, de seu nome completo Acácio Graciano Antunes Brás, nasceu na Figueira da Foz (Portugal), em 26 de agosto de 1853, falecendo em Lisboa a 2 de abril de 1927.
Foi jornalista, escritor e poeta, tendo assinado cerca de 60 obras (comédias, revistas, monólogos, cançonetas, óperas cómicas, operetas, etc.)
Completam-se hoje, 26 de agosto de 2013, 160 anos sobre a data do nascimento deste ilustre figueirense.
Para o recordar, o excerto de um poema da sua autoria, lido pelo ator Augusto de Melo na noite da inauguração do Teatro  Circo Saraiva de Carvalho (mais tarde Grande Casino Peninsular e hoje Casino Figueira), em 3 de setembro de 1884.

Um dia, à beira-mar, numa isolada costa,

Onde se ouvia só das vagas o fragor,

De rochas eriçadas, aos temporais exposta,

Erguera uma choupana um velho pescador.

 

À pobre habitação nos ermos areais,

Veio juntar-se em breve uma outra companheira;

Ao pé dessa ergueu-se outra e outra, e mais e mais:

Fez-se uma povoação às ondas sobranceira.

 

….

Foi crescendo, crescendo a pequenina aldeia

A remirar-se na água em curvas ondulantes,

E, qual fada do mar, ou lânguida sereia,

Ia atraindo a si, de longe, os navegantes.

 

 A aldeia fez-se vila, e foi crescendo ainda,

Tornou-se comercial, cheia de atividade,

Povoada, industrial, e buliçosa e linda,

Até se transformar, por fim, numa cidade.

sábado, 24 de agosto de 2013

Manuel Fernandes Tomaz

Nem todos o querem recordar...
 
 
(Estátua de Manuel Fernandes Tomaz, na Praça 8 de Maio, na Figueira da Foz - sua terra natal - , inaugurada em 24 de agosto de 1911.)
 
Na data em que se assinala a revolução, nascida do Sinédrio, que devolveu a liberdade a Portugal, penso ser oportuno reproduzir aqui as palavras de José Hermano Saraiva, no seu programa "A Alma e a Gente", que, ontem, a RTP, através do canal Memória, transmitiu em repetição:
 
“(…) a partir da Revolução [1820] [Fernandes Tomás] não tem senão cargos políticos. Ele está em Lisboa, ele dirige as cortes constituintes, é ele quem praticamente exerce o governo todo, é ele quem faz as reformas e esses cargos são gratuitos; e Fernandes Tomaz não é rico.
Para um homem que trabalha, que não ganha um real, tem mulher e tem filhos, que solução?
Deixa de comer e continua a trabalhar.
É claro que isto dura pouco tempo. A certa altura adoece, deixa de ir à Câmara dos Constituintes, está cinco dias a faltar, e a Câmara pergunta: O pai da Pátria? Porque toda a gente o reconhece como o Patriarca da Liberdade, o pai da pátria portuguesa, a maior figura, tem todo o poder nas suas mãos. Porque é que ele está doente?
Vão à casa dele [na Figueira da Foz], - era uma casinha modesta, não tinha dinheiro para outra coisa -. Veem-no na cama e veem a doença que ele tinha:  o pai da pátria estava a morre de fome.
Ainda se faz uma subscrição para comprar uma galinha para uns caldinhos, mas a subscrição não veio a tempo e o Patricarca da Liberdade morreu por falta de alimento. Esta lição é das mais impressionantes, é das mais arrepiantes que a historia de Portugal nos conta hoje. Talvez por isso ninguém a quer lembrar.”
 
Para que muitos meditem nestas palavras...

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Para a história de...Montemor-o-Velho

Já lá vão mais de duas décadas...
 
 
Uma recordação com muitas nuances... No início dos anos 90 trabalhei no Rádio Clube de Montemor, na vizinha vila de Montemor-o-Velho.
Os estúdios funcionavam por cima do antigo quartel dos Bombeiros Voluntários e, em consequência, de quando em vez as emissões eram interrompidos pelo ruído das ... sirenes.
Foram tempos magníficos, com contacto muito próximo com a população. Recordar aqui episódios que decorreram naquele tempo ocuparia imensas páginas deste PRESENTE. Noutra ocasião falarei dalguns.
Foi pena que Montemor não tivesse conseguido segurar a sua Rádio, mas outros valores mais altos ($$$) se levantaram...
A história julgará os responsáveis por este atentado contra a simpática vila de Montemor-o-Velho.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Incêndios em Tondela

Fogo volta a fazer vítimas
Caramulo (Tondela)
fustigado pelas chamas
 
As chamas continuam a fustigar a Serra do Caramulo (Tondela), no distrito de Viseu.
Desta feita há a lamentar mais uma vítima mortal (uma bombeira de 22 anos), e ferimentos em nove companheiros que procediam ao combate ao incêndio que deflagra na Serra há mais de 48 horas.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Figueira da Foz, noutros tempos
 
 
O célebre varandim no Forte de Santa Catarina.
(1945)
Foto dedicado a uma assídua visitante.
A propósito, um pequeno poema que fará parte dum livro a editar:
.
Forte de Santa Catarina
Desço ao varandim,
Salpicam-me as memórias
e seguro os dedos de meu Pai.
Olho as ondas
como um primeiro e grande amor.
Saudade das manhãs
em que via o mar
gigante,
com os olhos de criança
que se perdeu no tempo.
Olhava em volta
e seduziam-me as imagens
dum mar revolto
que transportava a beleza
das manhãs frescas.
 Aníbal José de Matos-14.2.2010

O pensamento do dia


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

sábado, 17 de agosto de 2013

3.º aniversário
 
 
O meu neto Rodrigo, filho do Rui Matos e da Mónica, completa hoje três anos de idade.
Um beijinho de parabéns e ... até já, em Leiria.
 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Figueira da Foz em imagens

Imagens da minha terra
 
João Ataíde levou, novamente, a água a bater no Forte de Santa Catarina!!!
As obras levadas a efeito na envolvente do Forte de Santa Catarina, na Figueira da Foz (Portugal), oferecem uma nova imagem à cidade da Foz do Mondego.
O atual presidente da Câmara Municipal, prometeu e cumpriu. Quando assim é...
 

O pensamento do dia


“No campo da ação e da arte, do pensamento e do trabalho, o mérito vive rodeado de adversários; a ausência destes é testemunho inapelável da insignificância.”

 

domingo, 11 de agosto de 2013

Pequenos cantores na Figueira da Foz

- Hoje no CAE -
34 anos depois...
 
 
Hoje, pelas 21 horas, a Gala Internacional dos Pequenos Cantores regressa à Figueira da Foz, depois duma longa interrupção, desta feita para assinalar a 25.ª edição daquele evento que, por iniciativa de Sansão Coelho, que representava a empresa Presença Coimbrã, começou em 1979, no Grande Casino Peninsular, com transmissões diretas através da RTP.
Altura para recordar o saudoso artista João Mário Penicheiro, autor dos cenários que correram mundo, e o músico João Cascão (felizmente ainda entre nós) que durante anos dirigiu os ensaios e toda a parte musical daquela festa das crianças que constituiu um marco nos eventos culturais e recreativos na Figueira.
Depois do Casino e do Caras Direitas, a Gala surge esta noite no Centro de Artes e Espetáculos, com transmissão direta pela RTP, às 21 horas. (CAE)
 
 
Este, o cartaz da 1.ª edição da Gala Internacional dos Pequenos Cantores da Figueira da Foz, em 1979


Assim se noticiava a vitória de Maria Armanda (hoje com 38 anos), com a sua famosa canção "Eu vi um sapo"
Era o pontapé de saída para uma das mais interessantes iniciativas no género que se fizeram na Figueira da Foz.

 

Mensagem evangélica

Porque hoje é DOMINGO
 
Para todos um Santo DOMINGO

sábado, 10 de agosto de 2013

133 anos
 
Uma fotografia histórica.
A Sociedade Filarmónica Dez de Agosto, fundada na Figueira da Foz (Portugal) em 10 de agosto de 1880, completa hoje o seu 133.º ano de existência.

Figueira da Foz em imagens

Imagens da minha terra
 
 
Um aspeto do renovado Mercado Municipal Engenheiro Silva (Figueira da Foz - Portugal)
 

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Figueira da Foz em imagens

Imagens da minha terra
 
 
Uma figueira (carregada de frutos), junto à foz do Mondego, na ... Figueira da Foz.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Para a história da Figueira da Foz CCLXXII

70.º aniversário
 
Completam-se hoje, 8 de agosto, 70 anos sobre a data da inauguração da estação dos CTT  na Figueira da Foz, junto ao Jardim Municipal Infante D. Henrique.
O acontecimento teve lugar no dia 8 de agosto de 1943.
Nas imagens, o edifício dos CTT e a capa da opúsculo elaborado para o efeito pelo Ministério das Obras Públicas e Comunicações.
Presidiu à cerimónia o então governador civil do distrito de Coimbra, Augusto Braga de Castro Soares.
O ato foi abrilhantado pelas duas filarmónicas locais, a Figueirense e a Dez de Agosto, que executaram o hino da "Maria da Fonte".
Era presidente da Câmara Municipal da Figueira, Ruy Ramos.

Ciclismo

75.ª Volta a Portugal
visitou a Figueira
 
 
A 75.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta passou hoje pela Figueira da Foz, onde estava instalada uma meta volante, na ligação entre Bombarral e Aveiro, 1.ª etapa em linha da prova rainha do ciclismo nacional

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Para a história da Figueira da Foz CCLXXI

Manuel Dias Soares
75 anos sobre a sua morte
 
Completam-se hoje, 7 de agosto, 75 anos sobre a data do falecimento do figueirense Manuel Dias Soares.
Manuel Dias Soares nasceu na Figueira da Foz, numa casa da Rua dos Ferreiros, a 9 de Novembro de 1867, dedicando-se à música, desde muito novo, (ele que exerceu a profissão de gravador de pratas), sendo um dos mais dedicados regentes da Filarmónica Dez de Agosto. Sob a sua regência, e face aos êxitos obtidos por aquela Banda, esta foi galardoada com o título de Real, após uma brilhante acuação no Mosteiro da Batalha em 1908, perante o Rei D. Carlos.
Em 1907, assumiu as funções de diretor musical do extinto Rancho do Vapor, para a qual viria a musicar a célebre Marcha do Vapor, marcha-hino daquele agrupamento folclórico.
São inúmeras as produções de Manuel Dias Soares, sendo a mais antiga a que musicou a Opereta "O Privado do Sultão", de Mendes Leal.
Dirigiu a Fanfarra, agrupamento recrutado entre sócios das duas filarmónicas locais, e cujo primeiro ensaio teve lugar no Teatro-Circo Saraiva de Carvalho (hoje Casino da Figueira), em 14 de Janeiro de 1893.
Em 1915, organizou uma orquestra sinfónica, embora de curta duração, tendo-se esta apresentado, no concerto inaugural, numa nas salas da Casa do Paço.
Canção dos Ventos, Canção das Velas Soltas, Canção de Maria, Marcha Maruja, Devaneio, etc., tiveram a sua assinatura musical.
A Marcha do Vapor ficou como símbolo dum artista que viu a luz do dia na Figueira. A melhor homenagem que lhe foi prestada foi a Câmara Municipal tê-la consagrado, oficialmente, como Hino da Figueira da Foz.
 

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Figueira da Foz em imagens

Imagens da minha terra
 
 
"A espera"
Lares - Vila Verde - Figueira da Foz - Portugal

O pensamento do dia


“A bajulação é a moeda falsa que só circula por causa da vaidade humana.”

François de La Rochefoucauld (1613 – 1680) – Moralista francês

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Par a história da Figueira da Foz CCLXX

Foi há 60 anos!!!
 
 
Em 5 de agosto de 1953 era solene e festivamente inaugurada, na Figueira da Foz, a Piscina-Praia, um dos equipamentos turísticos e desportivos mais relevantes alguma vez construídos na cidade da foz do Mondego.
A iniciativa partiu do seu proprietário, o comendador Augusto Alves da Silva, industrial de hotelaria natural do concelho de Tondela.
Naquela piscina, com água diretamente colhida do mar (a respetiva bomba encontrava-se instalada junto ao Forte de Santa Catarina), com a tubagem a sob a Avenida 25 de Abril (então designada Avenida Dr. Oliveira Salazar), realizaram-se importantes competições de natação (campeonatos nacionais e internacionais) e de polo aquático, destacando-se como corolário dessas manifestações desportivas, etapas dos Jogos Luso-Brasileiros.
Nas imagens, a Piscina-Praia no dia da inauguração e Augusto Silva, figura de destaque do meio figueirense.

Para a história do desporto figueirense

Campo de treinos
começa a ter um aspeto digno
 
 

 
Iniciada no sábado, depois dos trabalhos de preparação do terreno, a implantação do relvado sintético, ontem, domingo, o campo de treinos do Estádio Municipal José Bento Pessoa, na Figueira da Foz, já apresentava o aspeto que a imagem documenta.


Durante meio século foi assim...

sábado, 3 de agosto de 2013

Para a história do desporto figueirense

Última hora
 
 
Iniciaram-se esta manhã (como se vê na imagem) os trabalhos de colocação do tapete verde (relvado sintético) no campo de treinos do Estádio Municipal José Bento Pessoa, na Figueira da Foz.
Deste modo, caminha a passos largos, o fim do atentado à integridade física dos jovens desportistas que, durante meio século pisaram um recinto mais digno dum lugar sertanejo do que duma cidade como a Figueira da Foz.
Está de parabéns a Câmara Municipal liderada por João Ataíde. Este ato ligá-lo-á, indelevelmente, à história do desporto figueirense.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Para quem o desconheça, o local a quem se lembraram de chamar Parque das Gaivotas... é o Parque da Avenida de Espanha, e o pavilhão multiusos é um daqueles "bonitos" barracões onde funcionou provisoriamente o mercado municipal.
Figueira da Foz, noutros tempos
 
 
Aqui era o porto de pesca da Figueira da Foz (Portugal). Neste local está agora instalada a marina de recreio. O porto de pesca foi transferido para a margem sul do Mondego.
Boas férias
 
 
Um quadro do artista plástico figueirense, Carlos Reys.