terça-feira, 20 de agosto de 2013

Figueira da Foz, noutros tempos
 
 
O célebre varandim no Forte de Santa Catarina.
(1945)
Foto dedicado a uma assídua visitante.
A propósito, um pequeno poema que fará parte dum livro a editar:
.
Forte de Santa Catarina
Desço ao varandim,
Salpicam-me as memórias
e seguro os dedos de meu Pai.
Olho as ondas
como um primeiro e grande amor.
Saudade das manhãs
em que via o mar
gigante,
com os olhos de criança
que se perdeu no tempo.
Olhava em volta
e seduziam-me as imagens
dum mar revolto
que transportava a beleza
das manhãs frescas.
 Aníbal José de Matos-14.2.2010

1 comentário:

dilita disse...

Olá Sr. Aníbal de Matos!
Obrigada pelo gesto simpático para com a minha pessoa.
Gostei da foto do varandim. É bom recordar!Afirma-se que recordar é viver, embora por vezes se fique a morrer de saudades... (em sentido figurado, claro.)
Muito bonito o trabalho de poesia.
Abraço.
Dilita.