quinta-feira, 30 de junho de 2011

Portugal no seu melhor

ABERRAÇÃO... MAIS UMA!!!

Fizeram uma obra notável na zona do espaço conhecido por Galo d'Ouro, na Figueira da Foz (Portugal), com o principal objetivo de evitar o estrangulamento que se verificava naquela zona, e onde se registavam imensos acidentes. Os semáforos foram uma primeira solução que resolveram casos pontuais.
Só que, como pode verificar-se na foto tirada ontem, cerca das 14 horas, o trânsito continua a ser intenso no tal Galo d'Ouro, Tavarede (ali se circula em várias vias e diversos sentidos) e já ali voltaram a registar-se acidentes embora sem consequências de maior, e - pasme-se - os semáforos foram desligados!!!
Uma aberração. Mais uma. Até quando? Serão reativados quando ali se verificar uma tragédia?!!!

A imagem do dia


 Comboio chega ao apeadeiro de Seiça - Figueira da Foz

O pensamento do dia

"Só há felicidade quando não pensamos no amanhã e abraçamos, agradecidos, o que o hoje tem para nos oferecer."

Autor Desconhecido

quarta-feira, 29 de junho de 2011

JARDIM-ESCOLA JOÃO DE DEUS

FIM DO ANO LETIVO


NO JARDIM-ESCOLA JOÃO DE DEUS



Terminou há momentos no grande auditório do Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz a festa de encerramento do ano letivo do 1.º Jardim-Escola João de Deus desta cidade, que teve como tema a célebre fábula da Carochinha e do João Ratão.

As crianças deram espetáculo. A festa foi delas e o público, que encheu literalmente a sala, aplaudiu de pé estes homens e mulheres de amanhã.

Figueira da Foz (Portugal)

FREITAS DO AMARAL,




esta noite no CASINO FIGUEIRA






Pelas 22 horas, DIOGO FREITAS DO AMARAL, está no CASINO FIGUEIRA, onde participa em CONVERSAS DO CASINO, num diálogo conduzido pela jornalista Fátima Campos Ferreira.




.



Em tempo: Afinal, Freitas do Amaral (até rima...) deu falta de comparência, não faltando, contudo, Fátima Ferreira que entrevistou ... António Saraiva, presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), como fez o favor de me informar o responsável pelo blogue LIMONETE, Zé Foz.

O pensamento do dia

"O que gosta que o corrijam ama o conhecimento, mas o que aborrece a repreensão é um ignorante."


Provérbios 12, 1

terça-feira, 28 de junho de 2011

Portugal no seu melhor

Parece que em relação à Serra da Boa Viagem (Figueira da Foz - Portugal) a memória é... curta!!! Lá que existem postos de vigilância para prevenção de fogos florestais é uma verdade. Só que são de vigilância mas não têm vigilantes...

O pensamento do dia

"A maioria de nós prefere olhar para fora e não para dentro de nós mesmos."

Albert Einstein (1879 - 1955)

segunda-feira, 27 de junho de 2011

A imprensa de hoje


Bolas!!! Isto não se faz...

Figueira da Foz (Portugal)

Imagens da minha terra



Parque de merendas da Mata dos Cedros,

na Serra da Boa Viagem (Figueira da Foz - Portugal)

Figuras

O meu Amigo Mário Silva, distinto artista plástico, à porta do Casino Figueira, nos seus tempos "áureos" de "anarquista"...

O pensamento do dia

"A grandeza dum espírito está na pluralidade e plenitude da sua sensibilidade. Todo o vasto espírito é sempre um tanto santo e outro tanto demoníaco. Todo o artista exagera ou dilui, aviva ou simplifica."

Agustina Bessa-Luís

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Festas Populares da Figueira da Foz

Dia de S. João na Figueira da Foz



S. JOÃO VEIO À FIGUEIRA

MAS FOI-SE A BATER NA TESTA;

NEM QUANDO ELE ENTROU NO CÉU

FIZERAM TAMANHA FESTA.


Manuel Jorge Cruz (1904)

Figueira da Foz (Portugal)

Na Figueira da Foz é tudo ao pormenor... Como a cidade fica lá em baixo, a placa na Serra da Boa Viagem tem a inclinação devida ...

Festas Populares da Figueira da Foz

Fogo de artifício... ao longe!!! Noite de S. João apreciada de minha casa a ums bons quilómetros de distância... É caso para dizer: Quem não tem cão caça com gato...

Festas Populares da Figueira da Foz

Feriado Municipal da Figueira da Foz



"Ao pontual bater da meia-noite, era o Banho Santo - que curava de maleitas, quartãs, febres e de toda a doença e malquerer.

Vinham das terras morenas das Beiras, dos campos verdes e viçosos de Coimbra à beira-rio, dos pinhais de Leiria, alfombrado de macias sombras - com seus farnéis em taleigas e pipos ao tiracolo, gentes sortidas com seus trajos garridos - chalezinho nos braços das beiroas, chinelinhos de verniz das moças de Taveiro e Formoselha, caçoilinho redondo de feltro das cachopas das terras semeadas a pinhal, pelo Senhor Rei D. Diniz."

.

Em ASPECTOS DA FIGUEIRA DA FOZ, de Maurício Pinto e Raimundo Esteves.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

terça-feira, 21 de junho de 2011

Verão

E assim chegou ao fim, na Figueira da Foz, o dia mais longo do ano, que marcou o início do verão.

(Clicar para ampliar - Foto tirada com telemóvel...)

Festas Populares da Figueira da Foz

Quadras populares escritas há mais de um século!!!


Pus-me a contar as estrelas
Que estão sobre o teu telhado.
- Quem me dera ser estrela
Sendo telhado furado!

Santiago Prezado (1883-1971)

S. João – santo matreiro,
Tinha trinta namoradas;
Quem quer um rapaz jeitoso,
Raparigas adoradas?!!!...

Augusto Pinto (1888-1979)

Adeus mãe, vou à Figueira
Visitar o S. João,
Que já casou meu avô
E meu pai e meu irmão.

Francisco Martins Cardoso (1873-1938)

Cantai, dançai, raparigas
Ao redor dessa fogueira;
Só quer danças e cantigas
O S. João da Figueira.

Cardoso Marta (1882-1958)

Raparigas das fogueiras
Acendei o vosso olhar;
Basta a luz dos vossos olhos
Para tudo alumiar!


Manuel Jorge Cruz (1880-1941)


Verão

Hoje é o dia mais longo



Hoje é o dia mais longo do ano.

Neste 21 de junho assinala-se o solstício do verão.

Na imagem, a enseada de Buarcos e a Praia da Figueira da Foz, mas ainda vai demorar uns largos dias para que o aspeto reproduzido se repita.

A imprensa de hoje

Antes de tomar posse, Passos Coelho sofre a primeira derrota, dando um tiro no pé ao insistir na colocação de Fernando Nobre na presidência da Assembleia da República. Esta pode ser encarada como uma prova de imaturidade política já que todo o mundo sabia que Nobre nunca iria obter votação suficiente para ocupar o segundo lugar da hierarquia política portuguesa. É que nem os amigos do CDS valeram ao novo Primeiro-Ministro...

Figueira da Foz (Portugal)

Imagens da minha terra



Pescando no Cabo Mondego (Figueira da Foz - Portugal)

(Clicar para ampliar)

O pensamento do dia

"Quando não se tem nada, qualquer pequena coisa é um milagre".

Do filme CASA DE LAVA, de Pedro Costa

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Festas Populares da Figueira da Foz



Deixei um ovo à janela,
Na noite de S. João.
S. João casamenteiro
Fez do ovo um coração.


Santiago Prezado (1883-1971)




Eu queimei uma alcachofra,
Por tua causa. Morena;
Alcachofra reverdece,
Que ando cheiinho de pena.


Augusto Pinto (1888-1979)





O baile aonde tu danças
Tem isto d’encantador:
Orquestra feita de beijos
E regente o nosso amor.


Francisco Martins Cardoso (1873-1938)





Ouço dizer que o sol dança
Na manhã de S. João;
Assim me dança no peito
Ao ver-te, o meu coração.


Cardoso Marta (1882-1958)




Minha noiva já me deu
O seu fiel coração,
Eu só lhe darei o meu
Na noite de S. João.


Manuel Jorge Cruz (1880-1941)

Quadras populares de cinco autores figueirenses, composta especialmente para as Festas de S. João no ano longínquo de 1904!

Humor



O pensamento do dia

"Ninguém consegue atravessar a fronteira para entrar dentro de outra pessoa - pela simples razão de que ninguém tem acesso a si mesmo"

Paul Auster

domingo, 19 de junho de 2011

POESIA

PESADELO

Nuvens negras encobrem o céu do meu país,
As aves anunciam derrocadas, (...)


Em http://anibaljosematos.blogspot.com

Festas Populares da Figueira da Foz



Um mentiroso gabou-se
Das vistas que viu dali,
Prometo cerrar os olhos
E jurar que nada vi.


Santiago Prezado (1883-1971)



Vira e volta, vai passando,
Volta-se e torna a virar;
Milagreiro S. João,
Vê se me podes casar.

Augusto Pinto (1888-1979)


Anda minh’alma perdida
Por não ter onde se acoite,
Ao menos dá-me guarida
Na tua, por esta noite.


Francisco Martins Cardoso (1873-1938)


O trevo de S. João
Vou atirá-lo à rua;
Tive-o um ano guardado
E ainda não sou tua.


Cardoso Marta (1882-1958)


S. João veio ao mundo
Só p’ra semear amor;
Festejai, moças gentis,
Vosso santo protetor…


Manuel Jorge Cruz (1880-1941)

Quadras populares de cinco autores figueirenses, composta especialmente para as Festas de S. João no ano longínquo de 1904!

Figueira da Foz (Portugal)

Figueira da Foz, noutros tempos



Aspeto da cidade da Figueira da Foz (Portugal), em 1925. Esta foto, da autoria de Amílcar Gramacho, que foi gerente técnico da secção fotográfica da Casa Havaneza, nesta cidade, mostra-nos a avenidade junto ao Mercado Municipal Engenheiro Silva, podendo ver-se, no lado direito, os carris dos carros americanos que faziam a ligação entre a estação de caminho de ferro e o Cabo Mondego.

Porque hoje é domingo



sábado, 18 de junho de 2011

A imprensa de hoje

Ainda bem porque de políticos estamos nós fartos. E já agora, a senhora que se vê na capa do jornal, também vai para o governo???!!!

Festas Populares da Figueira da Foz



Os teus peitos são dois montes
- que linda vista hão-de ter! –
Quem dera subir lá acima
E no cimo adormecer!


Santiago Prezado (1883-1971)


Rapazes, por alcachofras
Não vos torneis a guiar;
Por causa duma alcachofra
Ando aqui eu a penar.


Augusto Pinto (1888-1979)


Cantai, cantai raparigas,
Bailai, bailai nas fogueiras;
Ao som das vossas cantigas
As mágoas voam ligeiras.


Francisco Martins Cardoso (1873-1938)


Não entendo este costume
Das raparigas do povo:
Deitam fora o trevo velho
E vão buscar outro novo.


Cardoso Marta (1882-1958)



Porque estão quase a morrer
Meus anos da mocidade,
Anda minh’alma a sofrer
Dores e penas de saudade!


Manuel Jorge Cruz (1880-1941)

Cinco quadras escritas em 1904 por cinco personalidades da Figueira da Foz.

Figueira da Foz (Portugal)

No limiar do século XX. O Bairro Novo, na Figueira da Foz. Vê-se uma faixa de publicidade de um dos fotógrafos mais famosos que existiram na cidade: Pereira Monteiro. Mais um postal ilustrado da cidade da Foz do Mondego.

O pensamento do dia



sexta-feira, 17 de junho de 2011

Figueira da Foz (Portugal)

Imagens da minha terra



Parque Aventura, na Serra da Boa Viagem

(Figueira da Foz - Portugal)

(Clicar para ampliar)


Figueira da Foz (Portugal)

Figueira da Foz, noutros tempos



Um postal ilustrado, mostrando-nos parte da esplanada

e o Forte de Santa Catarina.

(Clicar para ampliar)

Festas Populares da Figueira da Foz



Deitaste as sortes à noite
- não queres ficar solteira –
Meu nome dormiu contigo
Debaixo da cabeceira.


Santiago Prezado (1883-1971)

Os abraços são biscoitos,
Os beijinhos são de mel;
Com abraços e beijinhos,
Hei-de arranjar um farnel.

Augusto Pinto (1888-1979)

O banho santo tomado
Na noite de S. João,
Livra de todo o pecado
E lava mais que o sabão.

Francisco Martins Cardoso (1873-1938)

O amor das lindas moças
Dura até ao S. João;
Ali acaba de todo
Ou casadinhas, ou não.


Cardoso Marta (1882-1958)

Ando noiva a procurar
Entre tanta romeirinha;
S. João vem-me guiar,
Diz-me qual há-de ser minha.


Manuel Jorge Cruz (1880-1941)

Cinco quadras, cinco figueirenses, em 1904.

O pensamento do dia



"A recordação da felicidade já não é felicidade. A recordação da dor ainda é dor."

Lord Byron (1788 - 1824)

quinta-feira, 16 de junho de 2011

eclipse lunar

Ontem, 15 de junho




As nuvens impediram que visse, como desejava, o eclipse total da Lua. Quando o céu ficou limpo, já apanhei o fenómeno a meio. Mas, de qualquer forma, foi um espetáculo, como pode ver-se neste vídeo em versão acelerada:





video

Figueira da Foz (Portugal)

Figueira da Foz, noutros tempos



Postal antigo da Figueira da Foz (Portugal).

"Estávamos" em 1905.

Festas Populares da Figueira da Foz

Cada qual busque parceira
e escolha de quem mais gostar,
Trigueira, linda trigueira,
tu hás-de ser o meu par.

Santiago Prezado (1883-1971)


Fogueiras de S. João
São luzinhas a brilhar,
Hei-de me queimar Maria,
Na luz desse teu olhar.


Augusto Pinto (1888-1979)


Pus alcachofra no lume,
De pronto reverdeceu;
Veio depois o ciúme,
Nosso amor logo morreu.

Francisco Martins Cardoso (1873-1938)


Chorai, guitarras, chorai,
Cantai, cantai, violões;
Choraram, agora cantam
Nossos ternos corações.


Cardoso Marta (1882-1958)


Rapazes e raparigas
Que nas fogueiras dançais;
Abraçai-vos com amor
Sem que o saibam vossos pais…

Manuel Jorge Cruz (1880-1941)

E assim prossigo com a reprodução de quadras populares alusivas ao S. João da Figueira da Foz, publicadas num opúsculo intitulado Cantigas para os Ranchos e Fogueiras do S. João, em 1904 (vão, pois, transcorridos 107 anos !!!), da autoria de cinco figueirenses que se notabilizaram em diversos ramos da cultura.
Aquela pequena (grande) obra foi publicada por iniciativa de Cardoso Marta e Manuel Cruz (editor), impressa na Tipografia Popular (Figueira da Foz), e que era vendida ao preço de 20 reis. Recorde-se que 1000 reis correspondiam a um escudo!!!

O pensamento do dia

"A calma é um elemento criador. Purifica, recolhe, põe em ordem as forças internas, compensando o que o desordenado movimento dispersa."

Stefan Zweig (1881 – 1942)

quarta-feira, 15 de junho de 2011

O pensamento do dia

"A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre."

Oscar Wilde (1854-1900)

terça-feira, 14 de junho de 2011

A imprensa de hoje



Lembram-se de ouvir dizer que Portugal era um país de brandos costumes? Já lá vai tanto tempo!!!

.

Nota: Quanto à infeliz criança, que faleceu à saída do autocarro da escola, no dia do seu 12.º aniversário, fica no ar a irresponsabilidade de quem a devia ter auxiliado na travessia da estrada!!!

Figueira da Foz (Portugal)

Figueira da Foz, noutros tempos



Lota da sardinha, em frente ao Jardim Municipal

da Figueira da Foz.

Recebida por e-mail, por gentileza de um amigo.