segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O pensamento do dia

"Ficamos de boca aberta e deitamos as mãos à cabeça ante o cenário que se nos depara no dia-a-dia: a violência infanto-juvenil tomou tal amplitude, que filhos batem nos pais, levando-os a temerem-nos e a fazerem-lhes todas as vontadinhas; alunos crescem para os professores, intimando-os a "baixarem a bolinha"; pessoas tratam-se como débeis mentais, ao passo que gente doida é tida como normal; criminosos com cama, mesa, roupa lavada, jogos e música, contrastam com inocentes sem abrigo e sem migalha de pão; promovem-se os incapazes, e travam-se as carreiras dos competentes; louva-se a parvoíce, e despreza-se a lucidez; esconde-se a verdade, deixando campear a mentira; passam-se atestados de estupidez a quem vê e sente as coisas, enquanto se despreza a sabedoria: amnistiam-se condenados, e tiram-se liberdades a cidadãos cumpridores da lei; a virtude sucumbe a qualquer sinal de riqueza."
 
Em O País a Raios X Estado crítico -  de Lauro Portugal  (Canas de Santa Maria - Tondela), editado em 2006 por Roma Editora.

Sem comentários: