sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Assim vai este país...

Atestados de estupidez
 
Está por demais provado que há muito que o governo de Portugal e os partidos que o apoiam, consideram que a esmagadora maioria dos portugueses sofre de estupidez aguda.
Ainda hoje, no habitual debate de surdos na Assembleia da República, o primeiro-ministro e os partidos da direita que o suportam, fizeram questão de salientar que o mérito (?) resultante do regresso aos mercados e daquilo que consideram alguma melhoria (?) no estado do país, se não deve exclusivamente ao governo mas sim ao sacrifício e esforço dos portugueses, a quem endereçam palavras de elogio.
Sinceramente!!!
Será que algum português, dos tais a quem atiram encómios por esses mesmos sacrifícios e esforços, o fez de livre e espontânea vontade?; ou a isso fomos obrigados, sem direito a qualquer fuga, sendo escandalosamente espoliados, roubados sem hipótese de defesa, para que o país pagasse as dívidas que não contraímos?
Elogiam-se os portugueses pelo seu sacrifício e esforço, quando as manifestações que pararam Portugal mostraram claramente que o povo está contra o ataque sistemático à sua carteira, às suas parcas economias, atirado em números nunca antes atingidos, para o desemprego, lançado para a miséria que, inclusivamente, tem estado na origem de uma longa série de suicídios?
Já sabíamos que nos tinham atirado para a classe de burros de carga; reforçam agora a ideia, passando-nos atestados de estupidez, o que, como diriam os brasileiros é, nitidamente, gozar com a nossa cara.
É como se nos atirassem ao rio, executando-nos, e elogiando-nos depois pelo sacrifício de termos morrido afogados.
É que ninguém nos pediu nada: IMPUSERAM-NOS.

Este artigo acaba de ser reproduzido, na íntegra, na página principal do jornal

 
o que desde já agradeço ao seu diretor, o meu colega e Amigo Joaquim Duarte Pereira (Zé Beirão).

Sem comentários: