domingo, 8 de janeiro de 2017

Futebol

Naval soma (derrotas)
e segue (a caminho dos distritais)


Mais uma derrota, a 13,ª em 15 jornadas da série E do campeonato de Portugal (terceiro escalão do futebol nacional), 14 golos marcados e 63 sofridos, com dois empates como os melhores resultados, ocupando a última posição, apenas com dois pontos, a 10 do  Carapinheirense e 32 do líder, o Desportivo de Fátima.
Hoje, mais uma derrota dos navalistas, em casa, por 0-3, frente aos açorianos do  Sporting Ideal.
Lá diz o ditado: "Quem ao mais alto quer subir, ao mais baixo vai cair", e é verdade. Clube insolvente, que teve a vã satisfação de permanecer , durante seis épocas, no primeiro escalão do futebol português, o emblema figueirense tombou no modesto patamar do campeonato  de Portugal, salvando-se por uma unha negra nas duas últimas edições e caminhando, a passos largos, para os campeonatos distritais.
Simplesmente lamentável.
Sem sede, insolvente, carregada de dívidas, a  contas com processos judiciais como tem vindo  a público, a Naval é a imagem de como não se deve gerir um clube, sobretudo este que teve destacado prestígio no mundo do desporto nacional.
Vai-lhe valendo a colaboração dos pais dos miúdos que ajudam a sustentar o futebol de formação.

Sem comentários: