segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Gastronomia figueirense




"O mais antigo grupo de adeptos de bem saborear os petiscos oriundos desta região junto ao Mondego e de janelas viradas para o Oceano, adotou a designação de Coração, Cabeça e Estômago, e durante mais de uma década (de 1936 a 1948), reuniu relevantes personalidades locais e nacionais.
A ideia proveio duma “assembleia” realizada nas Alhadas , freguesia que se notabilizou pela manufatura do pão, sendo um dos exemplos mais evidentes de como se come bem na Figueira. E, a propósito, citamos Ernesto Tomé: “...... A manhã sabe a Sol e sabe a pão, ao pão branco das horas descuidadas, à Primavera, Amor, que se avizinha... Olha a formosa terra das Alhadas, feita ternura branca de farinha !”.
Foi, pois, dessa confraternização que decorreu em casa do Dr. Gaspar de Lemos, que nasceu o intento de criar o grupo que viria a notabilizar-se no campo da gastronomia.
António Augusto Esteves, escritor e jornalista figueirense, que usava o pseudónimo de Carlos Sombrio,  foi o mentor da iniciativa (que findaria com o seu falecimento) e contou entre muitas outras, com figuras como Augusto Pinto, Prof. Dr. Joaquim de Carvalho, Mário Augusto, Cardoso Marta e António Piedade."
 
Do livro de crónicas de minha autoria, CÁ LONGE, a editar em breve..
AJdeMatos

Sem comentários: