quinta-feira, 20 de junho de 2013

Para a história da Figueira da Foz CCLXV

A caminho dos 130 anos
 
 
O edifício do Casino da Figueira, no início Theatro-Circo Saraiva de Carvalho (na imagem), completa 130 anos em 2014.
Para a história, aqui ficam alguns apontamentos recolhidos dum opúsculo da autoria de José Pires Lopes de Azevedo, editado aquando do primeiro centenário daquela casa de espetáculos e, mais tarde, também de jogos.
.
"Entretanto, e para nós hoje aqui, a década de 80 é o advento do grande Theatro-Circo, do qual agora festejamos o primeiro centenário.
Todos sabemos das circunstâncias que rodearam o caso: não vamos demorar nelas. Augusto Saraiva de Carvalho, quando ministro das obras públicas no governo de Anselmo Braancamp (1-VI-1879 - 25.III.1881), prometera trazer até à Figueira a linha da Beira Alta, o que acabou por acontecer. Em 1880, pretenderam os progressistas locais homenageá-lo por isso, e fizeram-no. Simplesmente os regeneradores dificultaram a homenagem.
Talvez por esse motivo, junto a outras razões estimulantes da competição partidária, tenha desencadeado a hipótese de alargar os confrontos a mais um domínio: ao Theatro Príncipe, decidiram os progressistas contrapor um outro, seguramente mais ambicioso.
Dinamizando o movimento, está o poderoso comerciante e exportador de vinhos, Joaquim António Simões, que tudo sacrificava aos seus ideais políticos.
O Comércio da Figueira de 31 de Março de 1883, anuncia o início dos trabalhos preparatórios da construção do edifício, "no bairro ocidental, que é o bairro da elite da colónia balnear", E a notícia acrescenta: "O espaço ocupado pelo edifício é de mais de quatro mil metros, e pode admitir 3.600 espectadores"... Era a conciorrência: o rival, Theatro Príncipe, comportava não mais de 800 lugares... Quanto à planta da projectada construção, que o mesmo periódico dizia ser "soberba de beleza", era da responsabilidade do arquitecto José Luís Monteiro, o mesmo que entre outras obras assinara a da Estação do Rossio.
Em Dezembro do mesmo ano se constituiu uma sociedade por acções, com estatutos de Julho do ano imediato. E, cinco meses depois de iniciados os trabalhos, aos 3 dias de Setembro de 1884, uma Quarta-feira, o Theatro-Circo Saraiva de Carvalho pela primeira vez abria as suas portas a um público numerosíssimo e ansioso de ver.
E, já agora, a rematar o assunto, só mais uma observação: sobre todo o acontecimento, arrojado à escala do País inteiro, a regeneradora Correspondência da Figueira faz silêncio absoluto!...
A obra, porém, ficou; e aí está, sendo mudada em casino, neste Grande Casino Peninsular (...)

Sem comentários: