segunda-feira, 18 de maio de 2015

Futebol


Ainda não foi desta
Tondelenses
à beira dum ataque de nervos
 
 
O espetáculo prometia e... cumpriu. Na verdade, no que respeita ao jogo propriamente dito que o Desportivo de Tondela disputou com o seu congénere de Chaves, assistiu-se a um excelente despique, cujo desfecho se ajustou ao equilíbrio de forças.
Só que os anfitriões, que vão na quarta jornada consecutiva sem vencer, perdendo nada menos de 10 pontos em 12 possíveis, viram adiada para a última ronda a consecução do objetivo traçado, a subida para a I Liga e, por acréscimo certamente não previsto no início, o título de campeões nacionais da II.
O Estádio João Cardoso encheu-se literalmente neste domingo, com o público em grande entusiasmo, destacando-se também a claque dos flavienses que levaram até Tondela sete autocarros que despejaram no estádio cerca de meio milhar de espectadores.
Foi uma tarde de calor em todos os sentidos, não faltando emoção, com o conhecido árbitro Bruno Paixão a ter de ir ao bolso várias vezes para puxar dos cartões (seis para os transmontanos), culminando a sua atuação com a expulsão do treinador do Chaves, Carlos Pinto (despedido do CD de Tondela à 11.ª jornada).
A última etapa deste campeonato vai ser de cortar à faca. Ao Desportivo de Tondela basta um empate em Freamunde, com quatro equipas ainda à espreita dum lugar ao sol: União da Madeira, Chaves, Sporting da Covilhã e Feirense, este embora, à partida, com hipóteses mais reduzidas.
Recorde-se que, na primeira volta, na manhã de 18 de janeiro, no Estádio João Cardoso, Tondela e Freamunde, em jogo com honras de transmissão televisiva,  e, curiosamente, também arbitrado por Bruno Paixão, empataram a um golo, com os comandados de Quim Machado a conseguirem a igualdade a 20 minutos do final.
 

Sem comentários: