segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Museu Municipal da Figueira da Foz


Sala de arqueologia reabre ao público
 
A exposição permanente de arqueologia  mostra agora novos materiais do sítio fenício de Santa Olaia, freguesia de Ferreira-a-Nova, concelho da Figueira da Foz. Os materiais dizem respeito à área metalúrgica da feitoria fenícia escavada em 1994, durante as obras da Autoestrada 14.
 
O núcleo romano da exposição passa a apresentar também o espólio de um barco naufragado no estuário do rio Mondego, junto a Maiorca.
Este espólio é propriedade do Museu do Campo, na Carapinheira, concelho de Montemor-o-Velho. A LACAM (Liga dos Amigos dos Campos do Mondego) que tutela o Museu do Campo,  e fez um depósito dos materiais arqueológicos no Museu da Figueira.
 
O Museu do Campo tem uma vocação eminentemente etnográfica, enquanto o Museu Santos Rocha representa a arqueologia da região. O depósito deste conjunto vem na sequência de uma já longa e profícua colaboração entre ambos os museus.
 
António dos Santos Rocha (1853-1910), advogado, Presidente da Câmara e arqueólogo fundador do Museu Municipal (1894) e da Sociedade Arqueológica (1898), dedicou a sua vida ao estudo da arqueologia da região da Figueira e de outras partes do país, como, por exemplo o Algarve ou a Beira Alta. A exposição permanente passou também a incluir algumas imagens históricas desses trabalhos pioneiros.
 

Sem comentários: