quinta-feira, 21 de junho de 2012

O MAIS ANTIGO JORNAL DA FIGUEIRA DA FOZ


94 anos de O Figueirense

O Figueirense entra hoje no seu 94.º ano de publicação. Foi em 19 de junho de 1919 que a aventura começou, com José Maria Cardoso e José da Silva Fonseca como timoneiros de uma viagem que hoje inicia o seu 94.º ano.
                                                                                                                                               19 -06-2012


(O texto acima é reproduzido de O FIGUEIRENSE online)
.
Realmente, quem dá o que tem, a mais não é obrigado… quando se lê frases como esta, de quem se julga tão dono da verdade a ponto de reinventar a sua história, e afinal nem sabe quantos anos faz o jornal que lidera, pouco mais há a dizer.

Então o jornal faz 94 anos, e agora é que vai entrar no seu 94º ano? Por acaso só faz 93, mas decerto que a equipa responsável por esta notícia, (tal é a formação que lhe reconhecemos), deve ter tido acesso a informações privilegiadas que lhe indicam o contrário…contra factos destes, não há argumentos possíveis…

E parece que a “aventura” começou “ com José Maria Cardoso e José da Silva Fonseca como timoneiros”… Pena é que os “timoneiros” sejam lembrados, mas o “capitão” Joaquim Gomes D’Almeida, o fundador do jornal, seja esquecido…realmente, com tal desnorte, não há navio que chegue a bom porto, e O Figueirense é bom exemplo desta regra, ao demonstrar que já nem sabe quem o lançou às águas da imprensa local.

E, embora “aventura” não nos pareça a palavra certa para a conscienciosa empresa levada a cabo pela equipa original desta publicação, de facto aplica-se bem ao que agora encontramos. Aventureiros é o que não falta nos dias de hoje, e muitos os que se aventuram em águas demasiado profundas para as suas capacidades.

É que as publicações panfletárias de fraca ética, de interesse atual questionável, e com pouco respeito pelo seu passado, têm pouco de que se orgulhar, e ainda menos louros sobre os quais descansar.

Quando não se reconhece o porto de onde se partiu, o naufrágio é iminente e lá chegará o dia no qual as bóias de salvamento continuamente lançadas pelo Patrão já não sejam suficientes para levar o navio a bom porto… é que os passageiros cada vez são menos, e a tripulação deixa muito a desejar.
Nota: Toda a informação sobre este tema em http://jornal-figueirense-adultera-memoria.blogspot.com

Sem comentários: